x

FÓRUM CONTÁBEIS

DEPARTAMENTO PESSOAL E RH

respostas 2

acessos 80

Propagandista Farmacêutico

Solange

Bronze DIVISÃO 5, Auxiliar Depto. Pessoal
há 21 semanas Quinta-Feira | 26 novembro 2020 | 06:48

Bom dia, estou com algumas dúvidas quanto a contratação de um propagandista farmacêutico:
* ele pode ser terceirizado ou autônomo? Ou precisa ser registrado?
* Se for registrado na farmácia, quais as obrigações para com ele quanto ao caso de ele utilizar o próprio carro para viajar?
* Como controlar para depois pagar o km rodado, já que o carro também é utilizado por outra pessoa?
* detalhes como ajuda de custo, praça.... devem ser todos colocados no contrato ?

desde já agradeço

Solange

Consultor Especial

Carlos Alberto dos Santos

Consultor Especial , Analista Pessoal
há 20 semanas Sexta-Feira | 27 novembro 2020 | 06:04

Solange, bom dia. 

* ele pode ser terceirizado ou autônomo? Ou precisa ser registrado?
R - Sim, nada impede.

* Se for registrado na farmácia, quais as obrigações para com ele quanto ao caso de ele utilizar o próprio carro para viajar?
R - Com relação a obrigação, precisa verificar a CCT, MAS na grande maioria das empresas, pagam-se um percentual (1/6 )do combustivel por kilometro rodado).

* Como controlar para depois pagar o km rodado, já que o carro também é utilizado por outra pessoa?
R - Aqui (empresa multinacional) temos um formulario onde o empregado apresenta na portaria, o vigilante/porteiro anota a kilometragem que consta no veiculo e na volta o mesmo procedimento, então se faz a conta de quantos kilometos foi rodado.

* detalhes como ajuda de custo, praça.... devem ser todos colocados no contrato ?
R - O empregado (não é todos somente aqueles que vão utilizar o veiculo próprio) assina um aditivo onde consta as normas/procedimentos da utilização e reembolso quando utiliza o próprio veiculo.























RECEBA CONTEÚDO EM SEU EMAIL cadastrar

O Portal Contábeis se isenta de quaisquer responsabilidades civis sobre eventuais discussões dos usuários ou visitantes deste site, nos termos da lei no 5.250/67 e artigos 927 e 931 ambos do novo código civil brasileiro.