x
2020-09-10T10:01:57-03:00

FÓRUM CONTÁBEIS

TRIBUTOS ESTADUAIS/MUNICIPAIS

respostas 0

acessos 17

AQUISIÇÃO DE PEÇAS E PARTES PARA REVISÃO DE VEÍCULOS USADOS

há 6 semanas Quinta-Feira | 10 setembro 2020 | 10:01

Boa Tarde,

Fiz consultas tributárias junto a SEFAZ-SP para mais esclarecimentos sobre como irei escriturar notas fiscais  de compras de partes e peças que são adquiridas para revisão de veículo usado a ser revendido posteriormente.
Meu cliente é uma concessionária e revende veículos usados , e muitos desses veículos, passam por revisão antes de serem entregues ao consumidor final e, no entanto, se necessário, adquirem peças e partes de fornecedores para incluir nestes carros que serão revendidos de cara.

Segundo a SEFAZ, conclui-se que devo considerar essas compras como mercadorias de revenda e que, inclusive, deveria registrar em estoque essas mercadorias. E ao emitir a nota acobertando a saída do veículo usado, segregar os acessórios inclusos neste veículo a preço de aquisição, já que ele não revende essas mercadorias a varejo.
Só que eu não posso descriminar esses acessórios na nota fiscal ao consumidor, pois o mesmo irá entender que a loja estará cobrando além do valor do carro, as peças e partes incluídas de manutenção, nem faz sentido isso.
E ainda, em último caso, daria saída destas peças e partes em uma nota fiscal a parte.


Quero saber dos meus caros colegas profissionais como lidar com este caso, pois eu ainda fico com a opção de contabilizar e escriturar como uso e consumo essas aquisições. Pois estas nem entram no estoque da empresa, são adquiridas mediante necessidade de revisão do veículo a ser vendido.


Há um tópico de um colega aqui no fórum sobre este assunto que cheguei a ler, porém, fiquei na dúvida ainda. Mas a conclusão dos demais foi de que, se não entra no estoque, então deve ser contabilizado como uso e consumo.

RECEBA CONTEÚDO EM SEU EMAIL cadastrar

O Portal Contábeis se isenta de quaisquer responsabilidades civis sobre eventuais discussões dos usuários ou visitantes deste site, nos termos da lei no 5.250/67 e artigos 927 e 931 ambos do novo código civil brasileiro.