x
2020-02-17T11:39:27-03:00

FÓRUM CONTÁBEIS

TRIBUTOS FEDERAIS

respostas 2

acessos 54

COMO GERAR IMPOSTO DE EMPRESA NO LUCRO PRESUMIDO QUE NÃO TEM EMISSÃO DE NOTA FISCAL DE VENDA.

há 6 semanas Segunda-Feira | 17 fevereiro 2020 | 11:39

Bom dia meus amigos, tenho um cliente que estava no lucro presumido desde 31/12/2017, o mesmo consegui regularizar e parcelar varias pendencias de falta de entrega de declarações e gfip e outras, consegue resolver tudo no mês de janeiro e solicitar o parcelamento do que dava para parcelar e a mesma pagou e graças a Deus, foi enquadrada no simples novamente.
Bom minha duvida é a seguinte a mesma teve vendas  nos 4 primeiros meses de 2018 e nos últimos 6 meses de 2019, as vendas foram no cartão de credito, fiz a escrituração fiscal da mesma, mas não tive como informar cupom fiscal ou nota de serviço pois a mesma nunca emitiu nenhuma nota, pois e loja de aluguel de roupa de noiva, mas no meu ponto de vista deviria ter cupom fiscal ou emitir nota, orientei os donos a colocar um cupom fiscal ou emitir nota fiscal caxiense, vamos la, na entrega da escrituração fiscal tem um campo de informação de vendas de cartão de debito e credito, e com isso não gerou nenhum imposto a pagar da mesma, sei que deviria ter gerado mas acho que não gerou porque a mesma não emitiu nem nota e nem cupom fiscal, como devo proceder para mas tarde gerar multa por falta de pagamento dos impostos no período que ela estava no lucro presumido.

há 5 semanas Segunda-Feira | 24 fevereiro 2020 | 14:32

Deixa como está.
Se tem ciência do erro, aguarde a notificação que talvez nem venha...
Faça o correto daqui pra frente.

Telma Carreira Frate , empresária, escritório contábil.

Professora , Contadora, MBA em Controladoria, Lato Sensu em Direito Tributário
Moderador
há 5 semanas Segunda-Feira | 24 fevereiro 2020 | 19:00

Wagner, boa noite.

Pelo princípio da espontaneidade, siga instruções do Artigo 138 do CTN:

"Art. 138. A responsabilidade é excluída pela denúncia espontânea da infração, acompanhada, se for o caso, do pagamento do tributo devido e dos juros de mora, ou do depósito da importância arbitrada pela autoridade administrativa, quando o montante do tributo dependa de apuração.

Parágrafo único – Não se considera espontânea e denúncia apresentada após o início de qualquer procedimento administrativo ou medida de fiscalização, relacionados com a infração”.

Hugo Ribeiro - Cristalina Goiás.
moderador.forumcontabeis@gmail.com
RECEBA CONTEÚDO EM SEU EMAIL cadastrar

O Portal Contábeis se isenta de quaisquer responsabilidades civis sobre eventuais discussões dos usuários ou visitantes deste site, nos termos da lei no 5.250/67 e artigos 927 e 931 ambos do novo código civil brasileiro.