x

FÓRUM CONTÁBEIS

TRIBUTOS FEDERAIS

respostas 1

acessos 93

EXCLUSÃO DO SIMPLES NACIONAL POR FAZER PARTE DO QUADRO SOCIETÁRIO DE OUTRA EMPRESA

Rosana Karla da Costa Pereira

Iniciante DIVISÃO 4, Assistente Contabilidade
há 10 semanas Quarta-Feira | 27 janeiro 2021 | 11:17

Caros Colegas,

Tenho uma empresa enquadrada no Simples Nacional que incorreu em uma hipótese de vedação ao Simples Nacional em 30/06/2020, porém não fez a comunicação até hoje, e a exclusão teria efeito a partir de 07/2020. A empresa recolheu os DAS normalmente até o mês 12/2020. 

Nesse caso ela será excluída automaticamente? Teremos que acertar as Notas de Serviços? Poderemos compensar os valores dos impostos recolhidos nas DAS mensalmente em novos DARFS? OU o procedimento para Lucro Presumido só deverá ser feito à partir de 2021?

Agradeço quem puder me ajudar.

Amaxiko

Ouro DIVISÃO 1, Técnico Contabilidade
há 10 semanas Quarta-Feira | 27 janeiro 2021 | 15:59

Caros Colegas,

Tenho uma empresa enquadrada no Simples Nacional que incorreu em uma hipótese de vedação ao Simples Nacional em 30/06/2020, porém não fez a comunicação até hoje, e a exclusão teria efeito a partir de 07/2020. A empresa recolheu os DAS normalmente até o mês 12/2020. 

Nesse caso ela será excluída automaticamente? Teremos que acertar as Notas de Serviços? Poderemos compensar os valores dos impostos recolhidos nas DAS mensalmente em novos DARFS? OU o procedimento para Lucro Presumido só deverá ser feito à partir de 2021?

Agradeço quem puder me ajudar.



Boa tarde Rosana Karla. Como vai?

Situação bem complicada essa!
Entendo que se o desenquadramento por ofício ocorreu a partir de 07/2020, devera o contador refazer toda a escrituração contábil pelo lucro presumido refazendo toda a apuração. OS valores pagos pelo DAS poderão/deverão ser compensados com os impostos apurados pelo lucro presumido.

RECEBA CONTEÚDO EM SEU EMAIL cadastrar

O Portal Contábeis se isenta de quaisquer responsabilidades civis sobre eventuais discussões dos usuários ou visitantes deste site, nos termos da lei no 5.250/67 e artigos 927 e 931 ambos do novo código civil brasileiro.