x

CONTEÚDO Legislações

adicionar aos favoritos

Pernambuco

Estado concede redução de multas e juros e remissão parcial do imposto devido por empresas de comunicação

Lei Complementar 183/2011

22/10/2011 14:02:52

297 acessos

Untitled Document

LEI COMPLEMENTAR 183, DE 17-10-2011
(DO-PE DE 18-10-2011)

SERVIÇO DE COMUNICAÇÃO
Débito Fiscal

Estado concede redução de multas e juros e remissão parcial do imposto devido por empresas de comunicação
Para a fruição deste benefício as empresas devem calcular e recolher o imposto devido, integralmente, até o dia 1-11-2011. Este benefício foi autorizado pelo Convênio ICMS 81, de 5-8-2011 (Fascículo 32/2011).

O GOVERNADOR DO ESTADO DE PERNAMBUCO. Faço saber que a Assembleia Legislativa decretou e eu sanciono a seguinte Lei Complementar:
Art. 1º – Relativamente a créditos tributários, constituídos ou não, decorrentes do não-pagamento do Imposto sobre Operações Relativas à Circulação de Mercadorias e sobre Prestações de Serviço de Transporte Interestadual e Intermunicipal e de Comunicação – ICMS incidente nas prestações de serviço de comunicação, caracterizadas pela disponibilização ao consumidor, a qualquer título, independentemente da denominação que lhes sejam dados, dos serviços de comunicação indicados no § 1º, ficam concedidos:
ICMS
I – dispensa do valor correspondente a multas e juros, relativos aos fatos geradores ocorridos até 25 de agosto de 2011; e
II – remissão parcial do imposto, de tal forma que o valor a ser recolhido seja correspondente às seguintes cargas tributárias líquidas aplicadas diretamente sobre o valor efetivamente cobrado ao consumidor pelos serviços mencionados do § 1º, relativas aos fatos geradores ocorridos nos períodos respectivamente indicados:
a) até 31 de dezembro de 2008, 9% (nove por cento);
b) no período de 1º de janeiro a 31 de dezembro de 2009, 16% (dezesseis por cento); e
c) no período de 1º de janeiro a 31 de dezembro de 2010, 19% (dezenove por cento).
§ 1º – Os serviços de comunicação de que trata o caput são serviços de valor adicionado, serviços de meios de telecomunicação, serviços de conectividade, serviços avançados de Internet, locação ou contratação de porta, utilização de segmento espacial satelital, disponibilização de endereço IP, disponibilização ou locação de equipamentos, de infraestrutura ou de componentes que sirvam de meio necessário para a prestação de serviços de transmissão de dados, voz sobre IP (voip), imagem e Internet, independentemente da denominação que lhes seja dada.
§ 2º – Relativamente ao disposto no inciso II do caput, a utilização do benefício ali previsto veda:
I – a apropriação dos créditos do ICMS decorrentes das entradas de quaisquer mercadorias, bens ou serviços utilizados nas prestações de serviços mencionados no § 1º; e
II – a compensação do ICMS devido com valores recolhidos a título de tributo referente aos serviços indicados no § 1º.
§ 3º – Para efeito do cálculo do valor a ser recolhido, relativamente ao período de 1º de janeiro a 25 de agosto de 2011, deve ser aplicada a alíquota prevista para a prestação sobre o valor efetivamente cobrado ao respectivo consumidor do serviço.
§ 4º Não se inclui nos serviços relacionados no § 1º aquele concernente à assinatura de serviço de voz sem a inclusão de minutos.
Art. 2º – A aplicação do disposto nesta Lei Complementar fica condicionada:
I – a que o contribuinte beneficiado não questione a incidência do ICMS sobre as prestações de serviço indicadas no § 1º do art. 1º, judicial ou administrativamente, e que desista formalmente de ações judiciais e recursos administrativos de sua iniciativa contra a Fazenda Pública, porventura existentes, que visem ao afastamento da cobrança do ICMS sobre os mencionados serviços;
II – a que o contribuinte beneficiado considere, para efeito de composição da base de cálculo do ICMS incidente sobre os serviços de comunicação, o valor total dos serviços indicados no § 1º do art. 1º, bem como efetue o pagamento do imposto calculado na forma deste inciso nos prazos previstos na legislação; e
III – a que o imposto devido, calculado na forma desta Lei Complementar, seja integralmente recolhido, em até 10 (dez) dias úteis a contar da data da sua publicação.
Parágrafo único – O descumprimento do disposto neste artigo implica imediato cancelamento dos benefícios fiscais concedidos por esta Lei Complementar, restaurando-se integralmente o débito fiscal objeto do benefício.
Art. 3º – Para efeito de fruição dos benefícios previstos na presente Lei Complementar, a empresa beneficiária deve efetuar solicitação à Diretoria Geral de Planejamento da Ação Fiscal – DPC, da Secretaria da Fazenda – SEFAZ, instruída com a declaração de que aceita e se submete às exigências desta Lei Complementar, bem como renuncia a qualquer questionamento administrativo ou judicial sobre a incidência do ICMS nas prestações de serviços mencionadas no art. 1º, sob pena de perda dos benefícios outorgados.
Art. 4º – A aplicação do disposto nesta Lei Complementar, nos termos do Convênio ICMS 81/2011, não confere ao sujeito passivo direito à restituição ou à compensação de valores recolhidos até a data da respectiva publicação.
Art. 5º – O Poder Executivo poderá, mediante decreto específico, estabelecer outras condições e requisitos para a operacionalização do disposto no art. 1º desta Lei Complementar.
Art. 6º – Esta Lei Complementar entra em vigor na data de sua publicação. (Eduardo Henrique Accioly Campos – Governador do Estado; Paulo Henrique Saraiva Câmara; Francisco Tadeu Barbosa de Alencar; Thiago Arraes de Alencar Norões)

MATÉRIAS RELACIONADAS
RECEBA CONTEÚDO EM SEU EMAIL cadastrar

O Portal Contábeis se isenta de quaisquer responsabilidades civis sobre eventuais discussões dos usuários ou visitantes deste site, nos termos da lei no 5.250/67 e artigos 927 e 931 ambos do novo código civil brasileiro.