x

CONTEÚDO Legislações

adicionar aos favoritos

Mato Grosso do Sul

Campo Grande dispõe sobre a dívida ativa

Lei Complementar 271/2015

Esta modificação na Lei Complementar 146, de 23-12-2009, fica o valor mínimo para de débito consolidado, para realização da cobrança de Dívida Ativa do Município, através de execução fiscal.

07/12/2015 10:25:36

392 acessos

LEI COMPLEMENTAR 271, DE 4-12-2015
(DO-CAMPO GRANDE DE 4-12-2015 - EDIÇÃO EXTRA)

DÍVIDA ATIVA - Cobrança - Município de Campo Grande

Campo Grande dispõe sobre a dívida ativa
Esta modificação na Lei Complementar 146, de 23-12-2009, fixa o valor mínimo de débito consolidado, para realização da cobrança de Dívida Ativa do Município, através de execução fiscal.


Faço saber que a Câmara Municipal aprovou e eu, ALCIDES JESUS PERALTA BERNAL, Prefeito Municipal de Campo Grande, Capital do Estado de Mato Grosso do Sul, sanciono a seguinte Lei Complementar:
Art. 1º A Lei Complementar n. 146, de 23 de dezembro de 2009, passa a vigorar com as seguintes alterações:
“Art. 1º Fica fixado em R$ 1.500,00 (um mil e quinhentos reais), o valor mínimo de débito consolidado, para realização da cobrança de Dívida Ativa do Município, através de execução fiscal.
§ 1º Os limites estabelecidos no caput não se aplicam quando se tratar de débitos de natureza não tributária ou decorrente de decisão do Tribunal de Contas.
§ 2º Entende-se por valor consolidado o resultante débito originário devidamente atualizado, somado aos encargos e acréscimos legais ou contratuais, vencidos até a data da apuração.
§ 3º O valor previsto no caput deste artigo será atualizado anualmente, com base no Índice de Preços ao Consumidor Amplo – Especial (IPCA-E), divulgado pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), por ato do Poder Executivo.
§ 4º Observados os critérios de eficiência, economicidade, praticidade, poderão ser ajuizados, por meio de uma única execução fiscal, os débitos da mesma natureza, relativos a um mesmo devedor, desde que superior ao valor estabelecido no caput deste artigo.”
...
“Art. 2º-A. A Procuradoria-Geral do Município, observado o disposto no art. 28, da Lei Federal n. 6.830, de 22 de setembro de 1980, poderá requerer o arquivamento, sem baixa na distribuição, das execuções fiscais de débitos com a Fazenda Pública Municipal, de valor consolidado igual ou inferior a R$ 1.500,00 (um mil e quinhentos reais), desde que:
I - esgotados todos os meios para citação do executado sem que esta tenha sido realizada;
II - não conste dos autos da execução garantia, total ou parcial, útil à satisfação do crédito;
III - não sejam localizados bens do devedor passiveis de constrição judicial.
Parágrafo único. O disposto no caput deste artigo não abrange os débitos objeto de execuções fiscais embargadas, salvo se o executado manifestar sua concordância com a extinção do feito, sem quaisquer ônus para a Fazenda Pública Municipal.”
“Art. 3º Os débitos inscritos em Dívida Ativa do Município, inferiores ao valor previsto no art. 1º desta Lei Complementar, serão cobrados extrajudicialmente pelo Poder Público Municipal.” (NR)
Art. 2º Esta Lei Complementar entra em vigor na data de sua publicação.
ALCIDES JESUS PERALTA BERNAL
Prefeito Municipal

MATÉRIAS RELACIONADAS
RECEBA CONTEÚDO EM SEU EMAIL cadastrar

O Portal Contábeis se isenta de quaisquer responsabilidades civis sobre eventuais discussões dos usuários ou visitantes deste site, nos termos da lei no 5.250/67 e artigos 927 e 931 ambos do novo código civil brasileiro.