x

Governo deverá prorrogar mais uma vez IPI reduzido para carros

A alíquota reduzida de IPI (Imposto sobre Produtos Industrializados) deverá ser prorrogada novamente pelo governo, segundo divulgou o Jornal da

18/06/2009 00:00:00

1,4 mil acessos

  • compartilhe no facebook
  • compartilhe no twitter
  • compartilhe no linkedin
  • compartilhe no whatsapp

A alíquota reduzida de IPI (Imposto sobre Produtos Industrializados) deverá ser prorrogada novamente pelo governo, segundo divulgou o Jornal da Globo, na edição da última quarta-feira (17).

As alíquotas deverão aumentar, mas ainda não voltarão aos patamares normais, o que deverá ser feito aos poucos. A informação teria sido dada por uma fonte da equipe econômica do governo, que ainda não assumiu uma decisão sobre a medida.

Opiniões de governantes
Com a aproximação do dia 30 de junho, data prevista para o término do benefício, muitos membros do governo já expressaram opinião contrária a uma nova prorrogação, como o ministro do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, Miguel Jorge.

Porém, o próprio presidente Luiz Inácio Lula da Silva já se demonstrou favorável a tornar o IPI reduzido uma medida permanente, opinião que também foi compartilhada pelo governador de São Paulo, José Serra, que ressaltou que esse benefício gera empregos na economia paulista e de outros estados que têm indústria automobilística.

Redução
O IPI reduzido foi adotado em dezembro do ano passado, com data para terminar em 31 de março, mas, devido aos bons resultados, com aumento nas vendas de carros, o governo prorrogou a medida para até 30 de junho.

Montadoras e associações do setor já afirmaram que, caso a alíquota volte aos patamares normais, as vendas de carros deverão cair significativamente no segundo semestre e que, por isso, são favoráveis à prorrogação da medida por todo o ano de 2009.

Fonte: InfoMoney

Enviado por: Wilson Fernando A. Fortunato

VER COMENTÁRIOS

O Portal Contábeis se isenta de quaisquer responsabilidades civis sobre eventuais discussões dos usuários ou visitantes deste site, nos termos da lei no 5.250/67 e artigos 927 e 931 ambos do novo código civil brasileiro.