x

BC reforça obrigatoriedade do IFRS para os bancos

Em nota à imprensa, órgão afirmou que os balanços consolidados deverão ser apurados já no novo padrão

25/01/2010 00:00:00

1,7 mil acessos

  • compartilhe no facebook
  • compartilhe no twitter
  • compartilhe no linkedin
  • compartilhe no whatsapp

Em nota à imprensa, órgão afirmou que os balanços consolidados deverão ser apurados já no novo padrão este ano

Embora as companhias de capital aberto sejam obrigadas a aderir ao padrão contábil internacional, IFRS, para as demonstrações financeiras individuais e consolidadas, os bancos deverão incorporar as novas regras apenas para os balanços consolidados. O esclarecimento foi feito pelo Banco Central (BC) e pela Comissão de Valores Mobiliários na última sexta-feira (22).

"Permanece inalterada a estratégia do Banco Central de incorporação, de forma gradual, das normas internacionais ao arcabouço regulamentar a ser observado na preparação das demonstrações contábeis individuais", afirmou o órgão em nota oficial.

De acordo com o BC, as normas emitidas pelo Comitê de Pronunciamentos Contábeis já recepcionados pelo Conselho Monetário Nacional (CMN) - CPC 1, CPC 3, CPC 5 e CPC 25 - devem ser observados pelos bancos na elaboração de suas demonstrações contábeis.

"Eventual alteração da norma em vigor ainda não foi discutida no âmbito do Banco Central e depende de uma série de fatores, inclusive de discussões que estão sendo levadas a cabo no âmbito de importantes fóruns internacionais, como o Comitê de Basileia", disse.

A legislação atual não faz qualquer referência específica ao processo de convergência contábil de bancos. As instituições financeiras podem ter critérios contábeis diferenciados, uma vez que a legislação atual prevê que eles serão estabelecidos pelo CMN", complementou.

Fonte: Financial Web

Enviado por: Wilson Fernando de A. Fortunato

VER COMENTÁRIOS

O Portal Contábeis se isenta de quaisquer responsabilidades civis sobre eventuais discussões dos usuários ou visitantes deste site, nos termos da lei no 5.250/67 e artigos 927 e 931 ambos do novo código civil brasileiro.