x
CONTEÚDO notícias

Empreendedores aumentam e Brasil tem perfil de negócios

Em 2013 uma parcela de 32,2% da população era empreendedora, ante 30,2% no ano anterior

11/03/2014 05:51:52

1,3 mil acessos

  • compartilhe no facebook
  • compartilhe no twitter
  • compartilhe no linkedin
  • compartilhe no whatsapp

O brasileiro tem um perfil empreendedor. Em 2013 uma parcela de 32,2% da população era empreendedora, ante 30,2% no ano anterior. Segundo o relatório sobre Empreendedorismo no Brasil, da Global Entrepreneurship Monitor (GEM), cerca 123 milhões de indivíduos são proprietários de negócios. Segundo especialistas consultados pelo DCI, o brasileiro tem uma aptidão natural para o empreendedorismo.
A sócia e diretora do Virtual Office, Mari Gradilone, disse acreditar muito no empreendedorismo no Brasil. "Apesar das dificuldades econômicas, o brasileiro idealiza muito ter um negócio próprio e é fértil de ideias", disse.
A consultora de negócios, Beth Penteado, também acredita que os brasileiros têm uma certa aptidão para novos negócios. "Nós temos uma característica como cultura de se empreender por oportunidade e isso está comprovado pelo numero imenso de micro e pequenas empresas no País. Nós temos no povo uma certa flexibilidade, que facilita o empreender, já que muitas vezes no caminho se que se tem que alterar algo que não deu muito certo".
Segundo o estudo do GEM, os empreendedores por Oportunidade são aqueles que identificaram uma chance de negócio e decidiram empreender, mesmo possuindo alternativas de emprego. No ano passado, esse tipo de empresário representava uma fatia de 71,3% dos empreendedores brasileiros.
Mari Gradilone deu algumas dicas para quem tem interesse em começar um novo negócios. "tem que identificar a oportunidade, com quem fazer, como dimensionar o negócio, que está ligado em como conseguir o crédito, para ver se esse é o caminho certo, se é um negócio viável".
Ela também salientou que quem ainda é um amador, tem que começar a pensar como um profissional. "O grande sucesso é ter competência, ver as pessoas que deram certo, por isso escutar, colocar para alguém sua ideia, e ver se a pessoa entendeu rapidamente suas explicações", disse.
A especialista acredita que tem havido um crescimento da formalização de empresários, "está crescendo a procura para as pessoas abrirem suas próprias empresas e terem um vínculo com o mercado", comentou ela que colocou o setor de serviços como o mais promissor destacando toda área de tecnologia e informação, advocacia e construção civil.

Dificuldades
As dificuldades enfrentadas pelos empreendedores estão relacionados à demora para a abertura da empresa e à grande burocracia enfrentada pelos novos empresários. Além disso, a dificuldade em se conseguir financiamentos também foi apontada.
Mari Gradilone explicou que muitos novos empresários se esquecem que antes de se ter uma empresa se tem um patrimônio pessoal. "A pessoa precisa ter um nome em ordem, tem um monte de banco procurando esse cliente, eu acho que a sugestão que eu posso dar para 2014 é cumprir tudo que você planejou, se tem uma 'ficha limpa' ela que vale ouro porque todo mundo está atrás de alguém que possa se expandir, a gente nunca teve dificuldade de crédito. Eu acho que é um ano que tem muito dinheiro para emprestar", completou.
Segundo Beth Penteado, além da questão do crédito, "as dificuldades com relação à mão de obra é a mesma que os outros empresários enfrentam. Como as empresas são de pequeno porte é mais fácil treinar essa mão de obra, o pequeno empreendedor pode acolher uma pessoa e treina-la para uma função específica", salientou.
"Estamos cada vez com mais facilidade de acesso. O desejo das pessoas ficou muito parecido, no interior do Brasil se encontram produtos semelhantes aos que temos nos grandes centros. Por outro lado com o crescimento de outras regiões apareceram muitas necessidade de produtos e serviços que a população carece e essa carência também é o que fomenta essa empreendedorismo", completou a especialista.


Por Paula de Paula

Fonte: DCI - SP

VER COMENTÁRIOS

O Portal Contábeis se isenta de quaisquer responsabilidades civis sobre eventuais discussões dos usuários ou visitantes deste site, nos termos da lei no 5.250/67 e artigos 927 e 931 ambos do novo código civil brasileiro.