x

Empresas lucram com solução para notas fiscais eletrônicas

As notas fiscais eletrônicas (NF-e), projeto lançado pela Secretaria da Fazenda no ano passado e que começou a ser implantado em janeiro deste ano, podem gerar,

31/05/2006 00:00:00

2,2 mil acessos

  • compartilhe no facebook
  • compartilhe no twitter
  • compartilhe no linkedin
  • compartilhe no whatsapp

As notas fiscais eletrônicas (NF-e), projeto lançado pela Secretaria da Fazenda no ano passado e que começou a ser implantado em janeiro deste ano, podem gerar, só em serviços de consultoria, R$ 700 milhões de receita para empresas de tecnologia da informação. Hoje, apenas 19 empresas estão autorizadas pela secretaria a emitir esse tipo de documento, mas, segundo a Associação Brasileira de E-business (ebusiness) , 200 empresas já estão "na fila" para implementar o serviço a partir de setembro. A NF-e substitui as tradicionais notas fiscais impressas e só poderá ser utilizada na transação entre empresas. As companhias emitem um documento assinado digitalmente para a Secretaria da Fazenda, que expedirá um certificado, também digital, aprovando a transação. O sistema significa uma economia de até 4% no faturamento das empresas. Para Richard Lowenthal, presidente da e-business, até o final de 2007, 50% de todas as notas do tipo A1 (notas emitidas de empresas para empresas) serão eletrônicas. Isso significa cerca de 30 milhões de NF-e por ano. Segundo Lowenthal, os custos em tecnologia para a implementação do serviço para as empresas variam de R$ 300 mil a R$ 3 milhões, dependendo do volume de notas emitidas. Para Eduardo Longano, gerente de desenvolvimento de negócios da Microsoft , líder mundial em softwares, mais de 2 mil empresas devem adotar o sistema eletrônico de emissão de notas até o final de 2007. Esse número seria o de empresas de grande porte (que emitem até 100 mil notas por dia) existentes no Brasil. O gerente afirma que os investimentos das empresas em tecnologia para a implantação do sistema é recuperado em apenas 1 ano com as economias geradas. Segundo Longano, a Microsoft está desenvolvendo soluções para o sistema de notas eletrônicas por meio de parceiros. O diretor destacou também que, além das empresas, o mercado compreende as Secretarias da Fazenda de todos os estados do País, que vão precisar de um sistema para receber e validar as notas. A SAP , segunda maior fabricante de softwares do mundo, também está desenvolvendo soluções para esse mercado. Segundo Adriano Santos, gerente de produtos da empresa, as plataformas tecnológicas para a emissão de NF-e devem gerar, até o final de 2007, entre R$ 3 e R$ 5 milhões de receita para a companhia. Santos acredita que a Secretaria da Fazenda vai liberar o uso das notas eletrônicas de forma comedida, privilegiando alguns setores, como o petrolífero. Mesmo assim, ele afirma que, pelo menos as grandes empresas, vão implantar a tecnologia já esse ano. "Mesmo sem poder emitir notas, as empresas vão querer estar preparadas" destaca. Para Carlos Magno, sócio diretor da True Access , empresa que desenvolveu o Net D-fence, solução que gera a nota fiscal eletrônica, assina digitalmente o documento e o envia para a Secretaria da Fazenda, cerca de 2.400 empresas, todas de grande porte, devem adotar o sistema eletrônico de notas até o final de 2007. O custo do produto varia de R$ 30 mil até R$ 300 mil, dependendo do tamanho da empresa. "O mercado deve passar a exigir, por questões de custos e segurança, a NF-e. Empresas de grande porte não vão mais aceitar trabalhar com papel", afirma Magno. Flávio Ortêncio, diretor da Soft Team , empresa que desenvolve soluções fiscais e teve faturamento de R$ 19 milhões no ano passado com crescimento de 30% nos últimos dois anos, espera aumentar a receita da empresa em até 70% com as notas eletrônicas. A companhia firmou uma parceira com a Config , fabricante de softwares que desenvolve o sistema de gestão da Wickbold , para lançar uma solução de notas eletrônicas. "Só em serviços de consultoria, sem contar as licenças de software, esse mercado deve movimentar R$ 700 milhões até o final de 2007", afirma o diretor. Carlos Magno, da True Access, destaca que o mercado é bastante amplo, pois não existe uma solução tecnológica pronta para implantar o sistema. "As empresas terão que adaptar seus sistemas de gestão para emitir as Notas eletrônicas", diz. A SAP, para solucionar esse problema, vai disponibilizar essas modificações sem custos para seus clientes. A única cobrança será pelos softwares de emissão das notas fiscais.

Fonte: DCI

VER COMENTÁRIOS

O Portal Contábeis se isenta de quaisquer responsabilidades civis sobre eventuais discussões dos usuários ou visitantes deste site, nos termos da lei no 5.250/67 e artigos 927 e 931 ambos do novo código civil brasileiro.