x

Jaqueline Roriz admite recursos não contabilizados e pede licença médica

Em nota divulgada nesta segunda-feira, a deputada Jaqueline Roriz (PMN-DF) reconhece que esteve mais de uma vez no escritório de Durval Barbosa em 2006 para receber

16/03/2011 09:34:08

1,4 mil acessos

  • compartilhe no facebook
  • compartilhe no twitter
  • compartilhe no linkedin
  • compartilhe no whatsapp

Em nota divulgada nesta segunda-feira, a deputada Jaqueline Roriz (PMN-DF) reconhece que esteve mais de uma vez no escritório de Durval Barbosa em 2006 para receber "recursos não contabilizados". Ela informa ainda que vai se afastar da Câmara dos Deputados nos próximos cinco dias por motivos médicos.

Jaqueline Roriz aparece numa gravação divulgada no início do mês em que Durval Barbosa entrega R$ 50 mil para o marido da deputada. Durval é o delator do esquema de corrupção que ficou conhecido como mensalão do DEM.

Bancada

A bancada do Distrito Federal decidiu, em reunião nesta segunda-feira, que irá entregar documento ao presidente da Câmara, Marco Maia, pedindo investigação rigorosa do caso. Os parlamentares querem a abertura imediata de processo no Conselho de Ética e Decoro Parlamentar.

Segundo a deputada Erika Kokay (PT), as evidências contra Jaqueline Roriz merecem apuração rigorosa. "A sociedade foi vítima do uso de recursos públicos de forma privada. Ela foi vítima, mais uma vez, ao ser instada a se posicionar nas urnas sem conhecer os fatos. Se as denúncias tivessem sido publicadas na época da última eleição, provavelmente a deputada não teria o mandato", argumentou.

O deputado Reguffe (PDT) afirmou que o documento a ser apresentado a Marco Maia também cobrará a divulgação de todos os vídeos relacionados a Jaqueline Roriz a que a Câmara tiver acesso. "A população precisa ter o direito de saber absolutamente tudo sobre esse esquema de desvio de dinheiro público que saqueou o contribuinte no Distrito Federal", ressaltou. Também participaram da reunião da bancada do DF os deputados Policarpo (PT), Ricardo Quirino (PRB), Izalci (PR) e Augusto Carvalho (PPS).

O caso deve ser analisado pelo Conselho de Ética, que será instalado na quarta-feira (16). O líder do Psol, deputado Chico Alencar (RJ), disse que o partido vai encaminhar uma representação para que o caso seja examinado pelo conselho.


Reportagem - Carol Siqueira e Renata Tôrres
Edição - Newton Araújo


Fonte: Agência Câmara de Notícias

VER COMENTÁRIOS

O Portal Contábeis se isenta de quaisquer responsabilidades civis sobre eventuais discussões dos usuários ou visitantes deste site, nos termos da lei no 5.250/67 e artigos 927 e 931 ambos do novo código civil brasileiro.

Ajude a divulgar o nosso Congresso de Contabilidade.

Inscreva-se e compartilhe

Salve a imagem e compartilhe em suas redes sociais.

Ajude a divulgar o nosso Congresso de Contabilidade.

Inscreva-se e compartilhe

Salve a imagem e compartilhe em suas redes sociais.