x

Presidente da Telefônica critica carga tributária e contingenciamento de fundo setorial

O presidente do grupo Telefônica, Antonio Carlos Valente da Silva, criticou nesta quinta-feira a elevada carga tributária que incide sobre o setor e o contingenciamento

22/05/2011 15:50:21

1,4 mil acessos

  • compartilhe no facebook
  • compartilhe no twitter
  • compartilhe no linkedin
  • compartilhe no whatsapp

O presidente do grupo Telefônica, Antonio Carlos Valente da Silva, criticou nesta quinta-feira a elevada carga tributária que incide sobre o setor e o contingenciamento dos fundos setoriais. Ele lembrou que, desde a privatização do sistema Telebrás, foram investidos R$ 220 bilhões no setor pelas empresas privadas e que foram repassados aos fundos setoriais R$ 42 bilhões.

- Os impostos são muito altos no Brasil. Por exemplo, o modem 3G (que permite mobilidade de internet), tinha embutido em seu valor até bem pouco tempo 90% de impostos. Um tablet pode ser comprado por US$ 500 ou US$ 600, mas no Brasil é, no mínimo, o dobro por causa de impostos - disse Valente no "XXIII Fórum Nacional", no Rio.

O executivo exemplificou em sua apresentação o modelo de gestão para o setor na Europa, pelo qual o uso de fundos setoriais deve ser usado para áreas de serviços onde a demanda é baixa e não há interesse das empresas em investir.

-Em áreas distantes ou isoladas, a necessidade de investimento por cliente é maior e a renda costuma ser mais baixa. Existem recursos para suprir carências específicas, mas eles não são usados - disse.


Fonte: O Globo

VER COMENTÁRIOS

O Portal Contábeis se isenta de quaisquer responsabilidades civis sobre eventuais discussões dos usuários ou visitantes deste site, nos termos da lei no 5.250/67 e artigos 927 e 931 ambos do novo código civil brasileiro.

Ajude a divulgar o nosso Congresso de Contabilidade.

Inscreva-se e compartilhe

Salve a imagem e compartilhe em suas redes sociais.

Ajude a divulgar o nosso Congresso de Contabilidade.

Inscreva-se e compartilhe

Salve a imagem e compartilhe em suas redes sociais.

?>