x

Articulação entre MP e Fazenda propicia ressarcimento de R$ 1,6 milhões ao erário estadual

Após a apuração das fraudes tributárias pela Receita Estadual e o desenrolar das investigações pela Promotoria Especializada no Combate aos Crimes Contra a

15/07/2011 11:29:01

1,4 mil acessos

  • compartilhe no facebook
  • compartilhe no twitter
  • compartilhe no linkedin
  • compartilhe no whatsapp

Após a apuração das fraudes tributárias pela Receita Estadual e o desenrolar das investigações pela Promotoria Especializada no Combate aos Crimes Contra a Ordem Tributária, duas empresas iniciaram o pagamento de seus débitos, voltado à satisfação de valores provenientes da sonegação de ICMS.

A primeira empresa, de Agudo, estabelecida com o comércio atacadista, aderiu ao parcelamento e quitou integralmente os débitos, em montante superior a R$ 1 milhão. No outro estabelecimento, atuante no ramo de combustíveis e sediado em Santa Catarina, foi desvelado um esquema criminoso.

A fraude consistia na simulação de devoluções de mercadorias, fazendo com que o contribuinte efetuasse o parcelamento e começasse a pagar os mais de R$ 600 mil, que passavam ao largo do controle fiscal. Segundo o promotor de Justiça Aureo Gil Braga, a restituição aos cofres públicos demonstra uma atuação interinstitucional firme e sistemática, viabilizando a manutenção de um modelo de repressão na fase pré-processual. O crime tributário é espécie do denominado crime do colarinho branco e está previsto na Lei n.º 8.137/90, que estabelece sanção de dois a cinco anos de reclusão.

Fonte: Ministério Público

VER COMENTÁRIOS

O Portal Contábeis se isenta de quaisquer responsabilidades civis sobre eventuais discussões dos usuários ou visitantes deste site, nos termos da lei no 5.250/67 e artigos 927 e 931 ambos do novo código civil brasileiro.