x

Comissão aprova valor de R$ 375 para o mínimo

Comissão aprova valor de R$ 375 para o mínimo A Comissão Mista de Orçamento aprovou ontem o relatório setorial do Trabalho, Previdência e Assistência Social

14/12/2006 00:00:00

2,1 mil acessos

  • compartilhe no facebook
  • compartilhe no twitter
  • compartilhe no linkedin
  • compartilhe no whatsapp

Comissão aprova valor de R$ 375 para o mínimo A Comissão Mista de Orçamento aprovou ontem o relatório setorial do Trabalho, Previdência e Assistência Social do Orçamento para 2007, que prevê o reajuste do salário mínimo de R$ 350 para R$ 375 a partir de 1º de abril de 2007. O reajuste aprovado é maior que o proposto pelo governo, de R$ 367. O relator foi o senador Leomar Quintanilha (PCdoB-TO). Já o relator-geral do Orçamento, senador Valdir Raupp (PMDB-RO), informou que vai conversar com o ministro de Relações Institucionais, Tarso Genro, para buscar um entendimento e evitar que o governo vete o aumento proposto. "Vamos tentar entendimento para que o governo possa aceitar os R$ 375. Não vejo que uma diferença de R$ 7 ou R$ 8 seja derrota para ninguém. Se o governo pudesse, daria um aumento maior", afirmou Raupp. Pelas contas apresentadas pelo relator, a diferença a mais na conta do Orçamento entre o valor proposto pelo governo e o da comissão é de cerca de R$ 1,5 bilhão. Mais - As centrais sindicais reivindicam um aumento para R$ 420, o que para Raupp não é possível. O último reajuste do salário mínimo foi maior que o proposto neste ano, quando passou de R$ 300 para R$ 350. "Havia defasagem grande. Acho que o governo fez muito pelo salário mínimo dando reajustes acima da inflação", afirmou o senador Raupp. De acordo com o calendário do relator, a comissão mista deve aprovar o relatório final no dia 19 deste mês e o plenário terá entre os dias 20 e 22, último dia dos trabalhos no ano do Legislativo, para votar o orçamento. ( Agências )

Fonte: Diário do Comércio

VER COMENTÁRIOS

O Portal Contábeis se isenta de quaisquer responsabilidades civis sobre eventuais discussões dos usuários ou visitantes deste site, nos termos da lei no 5.250/67 e artigos 927 e 931 ambos do novo código civil brasileiro.