x
CONTEÚDO notícias

Economia

Holdings viram alvos do TCU em ações sobre desvios

Além de bloquear recursos, outra medida que o Tribunal de Contas da União (TCU) tem tomado para assegurar o ressarcimento de desvios tem sido incluir as holdings, ou seja, as empresas que detêm o controle de todo o grupo.

02/10/2017 15:47:42

2,1 mil acessos

  • compartilhe no facebook
  • compartilhe no twitter
  • compartilhe no linkedin
  • compartilhe no whatsapp

Holdings viram alvos do TCU em ações sobre desvios

Além de bloquear recursos, outra medida que o Tribunal de Contas da União (TCU) tem tomado para assegurar o ressarcimento de desvios tem sido incluir as holdings, ou seja, as empresas que detêm o controle de todo o grupo ao qual pertencem as empreiteiras, além de seus acionistas, como responsáveis solidários pelos prejuízos. Dessa forma, ao fim dos processos, será possível alcançar um patrimônio maior.

Numa decisão tomada em 13 de setembro deste ano, o TCU, por exemplo, acionou a Odebrecht S/A e a UTC Participações, controladoras, respectivamente, da Construtora Norberto Odebrecht e da UTC Engenharia, a responder por perdas de R$ 653 milhões na Central de Desenvolvimento de Plantas de Utilidades (CDPU) do Comperj. Também foi implicado o ex-presidente da holding Marcelo Odebrecht, preso em Curitiba.

"Os elementos probatórios advindos da Lava Jato revelam que, na verdade, a decisão de pagar propina a diretores e empregados da Petrobras ocorria no coração das controladoras dos grupos empresariais, que, obviamente, tiravam proveito do superfaturamento das obras executadas por suas controladas", justificou, em seu voto, o relator do caso, ministro Bruno Dantas.

Só não foram bloqueados os bens das duas holdings e de suas controladas porque, por ora, negocia-se um "recall" de seus acordos com a Lava Jato em Curitiba. "Na Odebrecht S.A., por exemplo, havia um departamento especializado no pagamento de propina, intitulado Setor de Operações Estruturadas, onde eram processados os pagamentos de vantagens indevidas nos contratos das empresas do grupo. Na UTC, o próprio presidente da holding conduzia as negociações com diretores e gerentes da Petrobras e com outras empresas do cartel." As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

 

 

Fonte: Estadão Conteúdo

VER COMENTÁRIOS

O Portal Contábeis se isenta de quaisquer responsabilidades civis sobre eventuais discussões dos usuários ou visitantes deste site, nos termos da lei no 5.250/67 e artigos 927 e 931 ambos do novo código civil brasileiro.