x
CONTEÚDO notícias

Economia

Enquanto cresce o número de MEIs, inadimplência desafia micro e pequenas empresas

Em contrapartida ao crescimento contínuo de MEIs, o cenário para as micro e pequenas empresas segue difícil e números já indicam inadimplência recorde.

06/11/2017 17:34:13

3,3 mil acessos

  • compartilhe no facebook
  • compartilhe no twitter
  • compartilhe no linkedin
  • compartilhe no whatsapp

Enquanto cresce o número de MEIs, inadimplência desafia micro e pequenas empresas

O Brasil já tem mais de 7,5 milhões de trabalhadores formalizados por meio do cadastro no MEI (Microempreendedor Individual), segundo dados do Portal do Empreendedor.

Em contrapartida ao crescimento contínuo de MEIs, o cenário para as micro e pequenas empresas segue difícil e números já indicam inadimplência recorde. Em agosto, 4,8 milhões delas estavam devedoras. Em um ano, o número de microempresários que não conseguiram pagar em dia as dívidas aumentou 14%. O quadro ruim para essa categoria de empresa se manteve, apesar da queda da inflação e retomada da confiança dos empresários e consumidores.

No período, 600 mil, em todo o País, entraram para a lista de inadimplentes, aponta um estudo da Serasa Experian. O estudo considera como pequena e microempresa companhias com faturamento anual de até R$ 4 milhões.

Apesar da alta inadimplência entre as micro e pequenas empresas e a retomada ainda tímida da economia e do poder de consumo, brasileiros sonham em empreender e ter a sonhada autonomia. É o que revelou uma pesquisa da Mindminers, na qual 57% dos entrevistados consideram o próprio negócio como a chance de ter mais liberdade e soberania. Entre os que ainda estão ensaiando para o empreendedorismo, 66% também acreditam na autonomia como principal vantagem.

De acordo com o levantamento, entre os entrevistados, 62% dos que já comandam um negócio em atividade têm de 18 a 30 anos. No grupo dos que pretendem abrir o próprio negócio, 86% têm de 18 a 30 anos.

Os números também mostraram que 42% dos empreendedores optaram pelo conceito de multicanal, ou seja, loja física e on-line. Uma preferência que desponta no grupo dos  propensos a empreender, no qual 51% querem ter loja física, além de um e-commerce.

Um dos fatores indicados que atrasam, muitas vezes, o negócio próprio, é a falta de capital. É o que 49% dos entrevistados revelaram.

Para os futuros empreendedores, 22% dizem ter até R$ 10 mil para investir em um negócio próprio e 44% ainda não sabem quanto terão para gastar.

De acordo com a gerente de marketing da MindMiners, Danielle Almeida, alguns dados são explicados pelo estereótipo criado sobre o que é o empreendedorismo. "A motivação da maioria dos entrevistados demonstra bem como o empreendedorismo ainda é visto de forma um tanto romântica no Brasil. Isso porque, ao contrário do que se imagina, ter a própria empresa pode significar muito mais tempo dedicado ao trabalho", afirma.

 

 

Fonte: Mariana Bruno para o Contábeis

VER COMENTÁRIOS

O Portal Contábeis se isenta de quaisquer responsabilidades civis sobre eventuais discussões dos usuários ou visitantes deste site, nos termos da lei no 5.250/67 e artigos 927 e 931 ambos do novo código civil brasileiro.