MOMENTO CONTÁBEIS

Tabela de IR sem reajuste | Revisão no EPC | Piso salarial da sua categoria

Contábeis o portal da profissão contábil

23
Sep 2018
19:14

Economia

Cidadãos preparados para fiscalizar gastos públicos

Para mostrar à população o peso da carga tributária nos preços dos produtos, o Sescap (Sindicato das Empresas de Assessoramento, Perícias, Informações, Pesquisas e de Serviços Contábeis de Londrina e Região) realizou no último sábado (16) a terceira ediçã

08/06/2018 09:44

1.834 acessos

IBRACON AUDITORIAS

O quentão, o pé de moleque e a canjica, produtos tão comuns nessa época do ano, têm uma carga tributária pesada para o bolso de quem gosta de festa junina: 61,56%, 36,54% e 35,38% respectivamente. A camisa xadrez para compor o visual deixa 34,67% do total do seu valor para os cofres públicos. O uniforme verde e amarelo para torcer pela seleção brasileira na Copa do Mundo também não fica por menos no quesito impostos. 

Atualmente, os impostos, taxas e encargos representam, em média, 33% do PIB (Produto Interno Bruto) do País. Os tributos estão inseridos em todos os produtos e serviços e variam de acordo com o produto e o tipo de empresa envolvida nos vários processos da fabricação. 

Para mostrar à população o peso da carga tributária nos preços dos produtos, o Sescap (Sindicato das Empresas de Assessoramento, Perícias, Informações, Pesquisas e de Serviços Contábeis de Londrina e Região) realizou no último sábado (16) a terceira edição do Bolo Tributário, no Calçadão de Londrina. Um evento importante no sentido de conscientizar a população sobre o peso dos impostos em tudo o que é consumido no País. Ainda há pessoas que pensam que não pagam impostos, porque estão livres do Imposto de Renda ou não recolhem taxas como Darf. 

Esse evento marcou justamente o Dia do Contribuinte, comemorado em 25 de maio, que foi instituído em 2010 para ajudar a educar e a conscientizar a população sobre seus direitos e deveres como contribuinte. Naquele ano, o brasileiro precisava trabalhar 145 dias para pagar impostos - o que já era alto. Mas atualmente está pior, pois o cidadão trabalha 153 dias para arcar com esse custo. O governo federal fica com 57% do valor arrecadado, Estados com 25% e municípios com 18%. 

Mais do que mostrar quanto se paga de imposto em cada produto que compra, ações como a do Sescap ajudam a chamar a atenção para a reflexão de onde e como esses recursos são aplicados. É fato que o dinheiro pago com impostos não volta para o cidadão brasileiro na forma de serviços públicos de qualidade. Saúde, educação esegurança são exemplos de áreas onde os governos deveriam investir melhor e com mais responsabilidade o dinheiro que veio do povo. A mudança não é fácil e nem rápida. Depende muito do cidadão e da sua disposição em se envolver mais no acompanhamento dos gastos públicos.

 Fonte: Folha de Londrina - PR

Enviado por

Adriano Rodrigues

MATÉRIAS RELACIONADAS

Receba Novidades

receba novidades sobre o site e o fórum de contabilidade em seu e-mail

x

CADASTRE-SE
GRATUITAMENTE

e faça parte da maior
comunidade contabil
da internet brasileira

x

Faça parte da maior
comunidade da internet
brasileira
, e receba nosso
conteúdo gratuitamente

CADASTRE-SE GRÁTIS

ENVIAR

Ao se cadastrar, você aceita os termos de uso do portal Contábeis.

CADASTRE-SE COM AS REDES SOCIAIS

x

OLÁ ROGÉRIO

vocÊ sabia que você pode
enviar artigos pelo site ?

x

digite seu email ao lado
para receber a senha
em sua caixa de entrada.

RECUPERAR MINHA SENHA

ENVIAR
x

Parabéns!

Veja os próximos passos
para aproveitar tudo o que
preparamos para você.

x

Cadastro efetuado com sucesso !
Enviamos para seu e-mail os procedimentos para confirmação de seu cadastro.
Ele será concluído depois que você fizer a confirmação via e-mail.

Caso não tenha recebido:

* Aguarde mais alguns minutos.
* Verifique sua pasta de spam (ou lixo eletrônico).
* Solicite o reenvio da mensagem de confirmação clicando aqui.

Prezados(as) senhores(as), o Portal Contábeis se isenta de quaisquer responsabilidades civis sobre eventuais discussoes dos usuários ou visitantes deste site, nos termos da lei no 5.250/67 e artigos 927 e 931 ambos do novo código civil brasileiro. Ao acessar este site você concorda com os Termos de uso.

Site desenvolvido por
Julio Guimarães | Rogério César