x

Economia

Prévia da inflação fica em 0,34% em fevereiro, menor para o mês desde 1994

Nos últimos 12 meses, a variação foi de 3,73%, abaixo dos 3,77% dos 12 meses imediatamente anteriores.

22/02/2019 08:34:43

880 acessos

Prévia da inflação fica em 0,34% em fevereiro, menor para o mês desde 1994

O Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo 15 (IPCA-15), que é uma prévia da inflação oficial do país, aponta variação de 0,34% em fevereiro, informou nesta quinta-feira (21) o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Juntamente com fevereiro de 2000, variação foi a menor para um mês de fevereiro desde o início do Plano Real, em 1994. Nos últimos 12 meses, a variação foi de 3,73%, abaixo dos 3,77% dos 12 meses imediatamente anteriores.

No entanto, índice mostrou aceleração em comparação com janeiro, quando foi de 0,3%. O acumulado no ano ficou em 0,64% até fevereiro. Em fevereiro de 2018, a taxa havia sido de 0,38%.

Educação é destaque de alta

O grupo Educação foi responsável pelo maior impacto no índice, de 0,17 ponto percentual – variação foi de 3,52%.

Veja variação dos grupos em fevereiro:

  • Educação: 3,52%
  • Alimentação e bebidas: 0,64%
  • Saúde e cuidados pessoais: 0,56%
  • Artigos de residência: 0,47%
  • Despesas Pessoais: 0,30%
  • Habitação: 0,18%
  • Comunicação: 0,05%
  • Transportes: -0,46%
  • Vestuário: -0,92%
IPCA-15 mês a mês
Em %
Fonte: IBGE

O grupo Educação foi influenciado pelos reajustes de mensalidades escolares que costumam ocorrer no período de volta às aulas. Por exemplo, os cursos regulares subiram 4,6%, e as mensalidades de cursos diversos, 3,16%.

Alimentação e bebidas apresentou ligeira desaceleração em relação a janeiro (0,87%) por conta do consumo em casa, que subiu 0,68%, frente à alta de 1,07% em janeiro. As carnes, por sua vez, caíram 0,28% em fevereiro, e o tomate, cujos preços já haviam apresentado queda no mês anterior (-8,16%), mostraram deflação ainda mais intensa em fevereiro (-20,32%).

A alimentação fora de casa teve leve aceleração de janeiro (0,53%) para fevereiro (0,58%), com destaque para refeição, que registrou 0,78%, frente à alta de 0,39% no mês anterior.

Transportes teve a maior pressão negativa, embora com deflação menor que a ocorrida em janeiro, quando ficou em -0,47%. A gasolina (-2,43%) caiu pelo terceiro mês consecutivo e foi responsável pelo maior impacto individual negativo no índice. Outros destaques vão para a queda nos preços do etanol (-1,31%) e do óleo diesel (-0,15%). A exceção foi o gás veicular (3,21%), cujo resultado foi influenciado pela alta na região metropolitana de São Paulo (8,27%).

O setor de Vestuário também contribuiu com impacto negativo, tanto entre roupas femininas (-1,40%) quanto masculinas (-0,76%) e infantis (-0,99%). Além disso, os calçados, que haviam apresentado ligeira alta em janeiro (0,11%), registraram baixa de 0,8% em fevereiro.

Deflação em GO e Brasília

Em relação aos índices regionais, Goiânia (-0,04%) e Brasília (-0,15%) apresentaram deflação de janeiro para fevereiro. O resultado de Brasília deveu-se principalmente pela queda de 18,33% das passagens aéreas. O maior índice ficou com a região metropolitana de Belém (0,63%) devido à alta expressiva do feijão-carioca (50,08%) e da variação nos cursos regulares (5,91%).

Veja os índices por região pesquisada

Região Peso Regional (%) Variação em fevereiro (%) Variação em 12 meses (%)
Belém 4,65 0,63 3,44
Belo Horizonte 11,23 0,62 4,43
Fortaleza 3,49 0,55 3,15
Recife 5,05 0,46 3,03
Rio de Janeiro 12,46 0,41 4,07
São Paulo 31,68 0,41 3,82
Curitiba 7,79 0,15 3,18
Salvador 7,35 0,11 3,59
Porto Alegre 8,40 0,10 4,18
Goiânia 4,44 -0,04 3,01
Brasília 3,46 -0,15 3,07

IPCA de janeiro

O Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), considerado a inflação oficial do país, ficou em 0,32% em janeiro, acima dos 0,15% de dezembro. O índice acumulado em 12 meses ficou em 3,78%, levemente acima dos 3,75% registrados nos 12 meses imediatamente anteriores.

Em 2018, a inflação oficial fechou o ano em 3,75%, abaixo do centro da meta fixada pelo governo, que era de 4,5%. Para 2019, o alvo central a ser perseguido é um pouco menor: 4,25%.

Inflação oficial mês a mês
Variação mensal dos preços, em %
Fonte: IBGE

Os economistas do mercado financeiro mantiveram sua previsão para o IPCA de 2019 estável em 3,87%.

Com isso, a expectativa do mercado segue abaixo da meta de inflação fixada para este ano, de 4,25%. A meta tem um intervalo de tolerância que vai de 2,75% a 5,75%.

Metodologia

A metodologia utilizada no IPCA-15 é a mesma do IPCA, a diferença está no período de coleta dos preços e na abrangência geográfica. Os preços foram coletados no período de 16 de janeiro a 12 de fevereiro de 2019 (referência) e comparados com aqueles vigentes de 13 de dezembro de 2018 a 15 de janeiro de 2019 (base).

Fonte: G1

 

MATÉRIAS RELACIONADAS

RECEBA CONTEÚDO EM SEU EMAIL

cadastrar

O Portal Contábeis se isenta de quaisquer responsabilidades civis sobre eventuais discussões dos usuários ou visitantes deste site, nos termos da lei no 5.250/67 e artigos 927 e 931 ambos do novo código civil brasileiro.