x

Selic

Taxa Selic cai mais uma vez e registra o menor patamar histórico

Investidores devem ficar atentos já que o Copom deve continuar a reduzir as taxas de juros da Selic.

20/09/2019 11:52:39

4.942 acessos

Taxa Selic cai mais uma vez e registra o menor patamar histórico

O Comitê de Política Monetária do Banco Central, Copom, decidiu cortar a taxa básica de juros da economia de 6% para 5,5% ao ano, atingindo o menor patamar histórico.

O anúncio, feito na última quarta-feira, 18, representa a segunda queda consecutiva nos juros do país, após dezesseis meses em estabilidade na casa dos 6,5% ao ano, que permaneceu até julho.

A redução ficou dentro do esperado pelo mercado. Trata-se do décimo quarto corte na Selic desde quando a taxa atingiu o pico de 14,25% ao ano, entre julho de 2015 e outubro de 2016. A redução dos juros foi incentivada por um cenário de inflação controlada, e a autoridade monetária indicou que pode haver mais cortes neste ano.

A Selic é usada como referência para todas as outras taxas de juros do mercado e serve como instrumento para controlar a inflação e estimular o consumo. Com a Selic alta, os juros tendem a ficar mais caros e desestimular o consumo. Já com a taxa em viés de baixa, o crédito pode ficar mais barato, estimulando compras e aquecendo a economia.

No entanto, com a Selic em 5,5% ao ano, investimentos de renda fixa como poupança, CDBs com taxas pós-fixadas, fundos DI e títulos do Tesouro Selic pagam menos, já que seu rendimento é atrelado à taxa Selic ou à taxa DI, muito próxima da taxa básica de juros.

Novos cortes

Em comunicado divulgado no início da noite desta quarta-feira, o Comitê avaliou que o corte considera o cenário da economia, que está em processo de recuperação. “Essa decisão reflete seu cenário básico e balanço de riscos para a inflação prospectiva e é compatível com a convergência da inflação para a meta no horizonte relevante para a condução da política monetária.” 

No documento, o Copom sinaliza que deve continuar a fazer corte nas taxas de juros. Entretanto, enfatiza que a melhora no cenário da economia depende da continuidade das reformas, como a da Previdência – que está para ser votada em primeiro turno no Senado Federal.

MATÉRIAS RELACIONADAS
RECEBA CONTEÚDO EM SEU EMAIL cadastrar

O Portal Contábeis se isenta de quaisquer responsabilidades civis sobre eventuais discussões dos usuários ou visitantes deste site, nos termos da lei no 5.250/67 e artigos 927 e 931 ambos do novo código civil brasileiro.