x
CONTEÚDO notícias

Decreto SP

Feriado antecipado: Empresas podem optar por manter atividade

Mesmo com decreto, empresas podem optar por manter ou não atividades durante os feriados antecipados.

20/05/2020 08:45:01

11,3 mil acessos

  • compartilhe no facebook
  • compartilhe no twitter
  • compartilhe no linkedin
  • compartilhe no whatsapp

Feriado antecipado: Empresas podem optar por manter atividade

Para tentar aumentar a taxa de isolamento social e conter o avanço do novo coronavírus, a Câmara Municipal de São Paulo aprovou o Decreto Municipal 59.450, de 18 de maio de 2020, que antecipa os feriados municipais.

Com o decreto, os feriados de Corpus Christi (11 de junho) e Dia da Consciência Negra (20 de novembro) serão antecipados para esta quarta, 20 e quinta-feira, 21 e declara ponto facultativo na sexta, 22

Para o estado, o governador João Dória encaminhou à Assembleia Legislativa um projeto de lei para que o feriado de 9 de julho seja transferido para o dia 25 deste mês.

Trabalhar no feriado

Mesmo em meio à pandemia, empresas que mantêm suas atividades presencialmente ou em home office podem ter o planejamento comprometido pela decisão.

Nesse caso, se os funcionários tiverem que trabalhar, eles terão direito a uma folga compensatória posteriormente ou a receber em dobro pelas horas trabalhadas, conforme explica a advogada especialista em Direito do Trabalho, Karolen Gualda Beber.

"A regra é a mesma para todos os feriados. A diferença agora é que eles foram antecipados. Inclusive a Medida Provisória 927, que dispõe sobre medida trabalhistas durante a pandemia, já trazia a possibilidade de antecipação de feriados", diz Karolen.

De acordo com a especialista, como a medida já está prevista em lei, as empresas não precisam adotar nenhuma providência adicional.

"Serão seguidos os trâmites do dia a dia relativos a feriados e pagamentos de extras ou concessão de folgas", explica.

Fonte: Agência Brasil

VER COMENTÁRIOS

O Portal Contábeis se isenta de quaisquer responsabilidades civis sobre eventuais discussões dos usuários ou visitantes deste site, nos termos da lei no 5.250/67 e artigos 927 e 931 ambos do novo código civil brasileiro.