x
CONTEÚDO notícias

crédito

Covid-19: BNDES quer abrir crédito para micro e pequenas empresas

Presidente do banco pede ajuda a parlamentares para destravar verbas

16/06/2020 15:40:01

6,5 mil acessos

  • compartilhe no facebook
  • compartilhe no twitter
  • compartilhe no linkedin
  • compartilhe no whatsapp

Covid-19: BNDES quer abrir crédito para micro e pequenas empresas

O presidente do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), Gustavo Montezano, disse hoje (16) que as pequenas, micro e médias empresas representam o foco do banco durante a pandemia do novo coronavírus.  

Ao participar hoje (16) de reunião da Comissão Mista do Congresso Nacional que acompanha a situação fiscal e a execução orçamentária e financeira de medidas relacionadas à pandemia da covid-19, ele disse que a prioridade do banco é como fazer o crédito chegar a esse segmento da economia.

Numa comparação com grandes empresas,  Montezano reconheceu que o aumento do crédito oferecido a micro, pequenas e médias empresas foi “modesto”. 

No caso das grandes companhias, ele afirmou que, entre fevereiro e abril, houve um crescimento [no crédito] de R$ 100 bilhões, enquanto para micro, pequenas e médias empresas a expansão foi de R$ 10 bilhões ou 2%. 

“De um lado você tem os bancos falando que estão emprestando mais – é verdade, estão emprestando mais, cresceram 2% em dois meses, o que a gente pode dizer que é modesto – e, de outro lado, você tem as empresas falando que falta crédito, o que também é verdade”, reconheceu.

Canais de crédito

O presidente do BNDES justificou que houve uma demanda de crédito por empresas que não tinham canais de crédito, nunca precisaram de crédito e passaram a precisar. 

“Nossas fraquezas se revelam neste momento. A verdade é que o crédito sempre foi restrito para elas e, nesse momento de pandemia, isso fica mais latente e mais claro ainda. A nossa visão é de que a gente pode fazer mais”, ressaltou.

Entre as ações do governo, o presidente do BNDES disse que o Tesouro está assumindo o risco das operações. Nesse sentido, destinou R$ 16 bilhões para o financiamento para custeio e investimentos dos médios produtores rurais em atividades agropecuárias (Pronamp), R$ 20 bilhões para o Programa Emergencial de Acesso a Crédito e R$ 34 bilhões foram para o Programa Emergencial de Suporte a Empregos, de manutenção de emprego. 

Somadas essas linhas, ele disse que são R$ 71 bilhões que o governo disponibiliza de orçamento para o crédito chegar para as pequenas e média empresas.

Apelo ao Congresso

Para destravar o crédito, no entanto, Gustavo Montezano pediu empenho dos parlamentares para aprovar o quanto antes a medida provisória (MP 975/20), que libera crédito para as médias empresas.

O programa vai conceder garantias aos pedidos de empréstimos protocolados no BNDES até 31 de dezembro de 2020 por empresas com receita bruta entre R$ 360 mil e R$ 300 milhões.

“A gente tem conversado com o relator da Câmara, deputado Efraim Filho (DEM-PB), que está supercomprometido e nos apoiando. Já peço aqui a solicitação de que isso seja aprovado o quanto antes nas duas Casas (Senado e Câmara) porque essa interação com o Legislativo vai trazer aprimoramentos para o programa, vai tornar o programa mais flexível e mais acessível”, opinou. O mesmo, ressaltou, vale para o  Programa Emergencial de Suporte a Empregos (Pese), de folha de pagamento.  

“São necessários alguns ajustes, de forma geral, flexibilizando o acesso, tirando condicionantes do acesso. A gente acredita que, com essa liberação, o programa pode chegar a até R$ 20 bilhões de potencial”, afirmou.

Saúde

Na próxima terça-feira (23), será a vez do ministro da Saúde, general Eduardo Pazuello, prestar esclarecimentos aos parlamentares sobre as ações da pasta no enfrentamento da pandemia. O convite foi aprovado hoje.

Ainda sem data prevista, a  Comissão Mista do Congresso Nacional também aprovou nesta terça-feira convite para ouvir o ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles.

Fonte: Agência Brasil

VER COMENTÁRIOS

O Portal Contábeis se isenta de quaisquer responsabilidades civis sobre eventuais discussões dos usuários ou visitantes deste site, nos termos da lei no 5.250/67 e artigos 927 e 931 ambos do novo código civil brasileiro.