x
CONTEÚDO notícias

Decisão

Empresas do Vale do Itajaí conseguem rever créditos tributários na justiça

É uma vitória maiúscula. A grosso modo, é como se essas empresas estivessem recolhendo mais imposto do que deveriam. Com as decisões favoráveis, esses valores pagos a mais se transformam em crédito tributário.

15/07/2020 10:00:01

1,5 mil acessos

  • compartilhe no facebook
  • compartilhe no twitter
  • compartilhe no linkedin
  • compartilhe no whatsapp

Empresas do Vale do Itajaí conseguem rever créditos tributários na justiça

Um antigo embate judicial de ordem tributária começou a render frutos para grandes empresas do Vale do Itajaí. Cia. Hering e Electro Aço Altona, de Blumenau, e Metisa, de Timbó, são alguns exemplos de companhias da região que comunicaram recentemente que foram bem-sucedidas em ações já transitadas em julgado (ou seja, em definitivo, sem possibilidade de recurso) que questionam a incidência do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) na base de cálculo do PIS e da Cofins. Centenas de outros processos contestando o mesmo, de outras companhias, seguem em tramitação.

É uma vitória maiúscula. A grosso modo, é como se essas empresas estivessem recolhendo mais imposto do que deveriam. Com as decisões favoráveis, esses valores pagos a mais se transformam em crédito tributário. E as quantias são significativas porque são retroativas a 2002: na Cia. Hering chegam a quase R$ 280 milhões  e, na Metisa, a R$ 42 milhões. A Altona informou que ainda está apurando o impacto financeiro da decisão.

Para entender melhor a questão, é preciso voltar um pouco no tempo. Em 2017, após anos de discussões, o Supremo Tribunal Federal (STF) decidiu que o ICMS não compõe a base de cálculo do PIS e da Cofins. A incidência, portanto, seria inconstitucional, o mesmo argumento de empresas que a contestavam ainda antes disso. Mesmo com esse entendimento do Supremo, no entanto, existe certa insegurança jurídica em relação à situação porque há embargos de declaração apresentados pela União que seguem pendentes de julgamento.

— Apesar de o STF ter julgado e considerando que a probabilidade é grande de que essa decisão seja mantida, os efeitos da decisão relativos ao passado e relativos ao valor do crédito ainda podem ser modificados — alerta o advogado Marco Aurélio Poffo, especializado em Direito Tributário.

O escritório onde Poffo é sócio, em Blumenau, representa dezenas de ações semelhantes. É algo para as empresas ficarem atentas. Nestes tempos de pandemia, trata-se de um tema que pode provocar impactos financeiros significativos no caixa.

R$ 25 mil

É quanto a organização da Feirinha da Servidão espera arrecadar com um financiamento coletivo, para que possa continuar com ações digitais de divulgação de pequenos empreendedores e artistas de Blumenau. As edições mensais do evento, que aconteciam na rua, estão paralisadas desde março em função da pandemia. Para contribuições, basta acessar o site catarse.me/nossaforcaecoletiva.

Telhado

A Furb vai trocar a cobertura de parte do Bloco H, onde fica a biblioteca. A universidade abriu pregão para contratar a empresa que ficará responsável pela obra. As propostas serão conhecidas no dia 28 deste mês e o valor máximo estipulado é de R$ 286,6 mil. A justificativa: há queixas de usuários de goteiras e infiltrações por causa do péssimo estado das telhas, colocando em risco o acervo e quem frequenta o local.

Desempenho

Balanço financeiro divulgado pela Intelbras aponta que a empresa teve crescimento na receita operacional líquida de 16% em 2019, passando de R$ 1,54 bilhão para R$ 1,8 bilhão. O lucro líquido foi de R$ 194,4 milhões, 10% superior aos R$ 176,7 milhões verificados no ano anterior. Com sede em São José, a Intelbras fabrica equipamentos de segurança eletrônica, vigilância e telecomunicações.

Fonte: NSC Total

VER COMENTÁRIOS

O Portal Contábeis se isenta de quaisquer responsabilidades civis sobre eventuais discussões dos usuários ou visitantes deste site, nos termos da lei no 5.250/67 e artigos 927 e 931 ambos do novo código civil brasileiro.