x
CONTEÚDO notícias

Pagamento instantâneo

Pix começa funcionar terça-feira para selecionados por bancos

A entrada em vigor do Pix a partir de terça-feira para clientes selecionados faz parte da fase de testes do sistema que vai até 15 de novembro.

30/10/2020 09:00:01

17,9 mil acessos

  • compartilhe no facebook
  • compartilhe no twitter
  • compartilhe no linkedin
  • compartilhe no whatsapp

Pix começa funcionar terça-feira para selecionados por bancos

O Pix, novo sistema de pagamento instantâneo do Banco Central (BC), começa a funcionar na terça-feira (3), ainda de maneira restrita para clientes selecionados pelas instituições financeira.

Segundo o BC, a decisão é para que haja uma fase de testes que se estenderá até 15 de novembro. A partir do dia 16, o sistema entra em vigor para todos os usuários.

Em relação aos horários de funcionamento, durante a fase de testes, será restrito. As operações de pagamento e recebimento poderão ser feitas das 9h às 22h. Contudo, nos dias 5 e 12 de novembro, o horário para realização das transferências será ampliado e ocorrerá de 9h às 24h. Nos dias 6 e 13, o sistema vai funcionar de meia-noite às 22h.

Funcionalidades Pix

Nesta quinta-feira (29), o Banco Central anunciou que foram ampliadas as funcionalidades do sistema.

Com o Pix Cobrança, comerciantes poderão emitir um QR Code para que o consumidor faça o pagamento imediato por um produto ou serviço. Além disso, será permitido fazer cobranças em datas futuras, com atualizações de juros, multas ou descontos, como ocorre com os boletos.

Também foi decidido que as instituições financeiras que passarem a oferecer o serviço de integração com os usuários recebedores deverão usar a interface de programação padronizada pelo órgão.

A medida foi tomada para evitar que um empresário não consiga mudar sua conta para outra instituição em razão dos custos da alteração.

VER COMENTÁRIOS

O Portal Contábeis se isenta de quaisquer responsabilidades civis sobre eventuais discussões dos usuários ou visitantes deste site, nos termos da lei no 5.250/67 e artigos 927 e 931 ambos do novo código civil brasileiro.