x

Testes

Pix movimenta R$ 210,2 mil no primeiro dia de operação

Foram 2.345 transações na terça-feira (3), de acordo com o Banco Central. Já são 60,6 milhões de chaves cadastradas.

04/11/2020 15:15:02

3,7 mil acessos

  • compartilhe no facebook
  • compartilhe no twitter
  • compartilhe no linkedin
  • compartilhe no whatsapp

Pix movimenta R$ 210,2 mil no primeiro dia de operação

O Pix teve 2.345 transações no valor de aproximadamente R$ 210,2 mil na terça-feira (3), primeiro dia de operações restritas do sistema de pagamentos instantâneos. A informação foi divulgada nesta quarta-feira (4) pelo Banco Central (BC).

Até ontem, o sistema havia registrado o cadastro de 60,6 milhões de chaves, aproximadamente, sendo 2,4 milhões para pessoas jurídicas e 58,2 milhões para pessoas físicas.

Na divisão por tipo de chave, o maior número de cadastros foi realizado com CPFs (22,2 milhões), seguido por celulares (14,8 milhões), aleatória (11,6 milhões), e-mail (10,6 milhões) e CNPJ (1,2 milhão). Todas essas chaves poderão ser usadas a partir do dia 16, quando o Pix começa a funcionar de maneira completa.

Com funcionamento em horários específicos e menor quantidade de pessoas, a fase restrita vem sendo usada pelo BC para testar o sistema.

PIX

O Pix é um novo meio de pagamento instantâneo criado pelo Banco Central, que vai ser uma nova opção ao lado de TED, DOC e cartões para pessoas e empresas fazerem transferências de valores, realizarem ou receberem pagamentos. Com o Pix, as pessoas e empresas poderão fazer essas transações em menos de 10 segundos, usando apenas aplicativos de celular.

O Pix foi criado pelo Banco Central. Mas quem vai oferecer o Pix às pessoas e empresas serão as instituições financeiras: bancos, meios de pagamento e fintechs.

Da mesma forma que TED e DOC, por exemplo, já aparecem no aplicativo como opções para uma pessoa na hora de fazer transferências de valores, o Pix vai aparecer nesse mesmo aplicativo como mais uma alternativa.

VER COMENTÁRIOS

O Portal Contábeis se isenta de quaisquer responsabilidades civis sobre eventuais discussões dos usuários ou visitantes deste site, nos termos da lei no 5.250/67 e artigos 927 e 931 ambos do novo código civil brasileiro.