x

Taxa

Selic deve permanecer em 2% no final de 2020

Especialistas projetam estabilidade para a taxa básica da economia até o fim de 2020.

23/11/2020 16:00:01

7 mil acessos

  • compartilhe no facebook
  • compartilhe no twitter
  • compartilhe no linkedin
  • compartilhe no whatsapp

Selic deve permanecer em 2% no final de 2020

Faltando apenas uma reunião do Conselho de Política Monetária (Copom) do Banco Central neste ano, os economistas do mercado financeiro mantiveram suas projeções para a Selic (a taxa básica da economia) no fim de 2020.

O Relatório de Mercado Focus trouxe nesta segunda-feira, 23, que a mediana das previsões para a Selic neste ano seguiu em 2,00% ao ano. Há um mês, estava no mesmo patamar.

Com o contínuo aumento da estimativa de inflação para o próximo ano, a projeção para a Selic no fim de 2021 passou de 2,75% para 3,00% ao ano, ante 2,75% de quatro semanas atrás.

No caso de 2022, a projeção seguiu em 4,50% ao ano, igual um mês antes. Para 2023, seguiu em 6,00%, como já estava quatro semanas atrás.

Em outubro, ao manter a Selic em 2,00% ao ano, o Copom disse que “a conjuntura econômica continua a prescrever estímulo monetário extraordinariamente elevado, mas reconhece que, devido a questões prudenciais e de estabilidade financeira, o espaço remanescente para utilização da política monetária, se houver, deve ser pequeno”.

Selic

Taxa Selic é a taxa básica de juros da economia brasileira. Basicamente, afeta todas as outras taxas de juros no Brasil, como empréstimos, financiamentos e até retornos de investimentos financeiros.

Quem determina o valor dessa taxa é o Copom, o Comitê de Política Monetária do Banco Central. O Comitê foi criado em 1996 com o objetivo não só de definir a taxa básica de juros, mas também de estabelecer as diretrizes da política monetária e regular a liquidez da economia. O Copom se reúne a cada 45 dias para deliberar se a taxa Selic aumenta, diminui ou se mantém estável.

VER COMENTÁRIOS

O Portal Contábeis se isenta de quaisquer responsabilidades civis sobre eventuais discussões dos usuários ou visitantes deste site, nos termos da lei no 5.250/67 e artigos 927 e 931 ambos do novo código civil brasileiro.