x

Benefício

13º salário: saiba as melhores opções para investir a 1ª parcela

Empresas devem depositar parte do 13º salário até o dia 30 de novembro e especialistas aproveitam para dar dicas sobre as aplicações mais indicadas.

27/11/2020 11:50:01

2,5 mil acessos

  • compartilhe no facebook
  • compartilhe no twitter
  • compartilhe no linkedin
  • compartilhe no whatsapp

13º salário: saiba as melhores opções para investir a 1ª parcela

A primeira parcela do 13º salário será depositada na conta dos trabalhadores na próxima segunda-feira (30). Especialistas acreditam que a maior parte dos brasileiros utilizará o dinheiro para pagar dívidas.

Contrariando esta afirmação, uma pesquisa divulgada na quinta-feira (26) pela CNDL (Câmara Nacional de Dirigentes Lojistas) e o instituto Offer Wise Pesquisas, apontou que 32% dos trabalhadores devem comprar presentes natalinos com o abono salarial.

O mesmo levantamento mostra que 21% querem gastar nas comemorações de Natal e Ano Novo. Das 968 pessoas entrevistadas, 30% pretendem economizar o dinheiro.

Confira abaixo dicas de especialistas sobre como investir o valor da primeira parcela do abono salarial. A ideia é mostrar quais são as melhores opções para quem pode investir R$ 1 mil.

Investimentos

Para Miguel de Oliveira, diretor-executivo da Anefac (Associação Nacional dos Executivos de Finanças, Administração e Contabilidade) , apesar de render pouco, a caderneta de poupança é a melhor opção para esse valor.

“Com a crise, muitas pessoas ficaram sem dinheiro. É bem provável que o valor do abono seja investido e resgatado em pouco tempo para pagar contas de início de ano.”

Oliveira sugere a poupança por não tem imposto e taxa de administração.

“Se ele colocar num fundo, terá de escolher o papel, haverá taxa administrativa que é mais elevada para valores pequenos, além de Imposto de Renda. Para seis meses é considerada a alíquota de 22,5% de IR”, diz.

Paula Zogbi, analista da Rico Investimentos, discorda de Oliveira e afirma que há outras opções mais rentáveis, mesmo com a cobrança do IR.

Ela cita como exemplo:

• Tesouro Selic;
• CDBs - oferecem liquidez diária e há opções que pagam 100% do CDI e são assegurados pelo FGC (Fundo Garantidor de Crédito), segundo ela; e
• Fundos DI.

“São investimentos que rendem mais do que a poupança mesmo com a cobrança do IR e oferecem a mesma segurança.”
Paula Zogbi
Paula destaca que essas são boas opções para quem quer criar uma reserva de emergência – o ideal, segundo ela, é guardar valores que contemplem de 6 a 12 meses do salário.

Caso o investidor já tenha uma reserva, Paula orienta o poupador a diversificar sua carteira, conforme seu perfil.

A especialista também destaca outros investimentos que rendem mais do que poupança e não cobram IR. Porém, são aplicações de longo prazo

• LCI (Letra de Crédito Imobiliário)
• LCA (Letra de Crédito do Agronegócio)
• CRIs (Certificados de Recebíveis Imobiliários)
• CRAs (Certificados de Recebíveis Agrícolas)
• Debêntures

Os LCI e LCA são emitidos por bancos e empresas, e os CRIs e CRAs são emitidos por companhias securitizadoras.

Debêntures são títulos de dívida emitidos por empresas de capital aberto ou fechado para captar recursos para o seu caixa e financiar projetos de infraestrutura.

Esse tipo de investimento gera três formas de rendimento: pós-fixado (CDI ou IPCA), prefixado ou híbrido (misturando as duas modalidades de rendimento).

Fonte: R7

VER COMENTÁRIOS

O Portal Contábeis se isenta de quaisquer responsabilidades civis sobre eventuais discussões dos usuários ou visitantes deste site, nos termos da lei no 5.250/67 e artigos 927 e 931 ambos do novo código civil brasileiro.