x

Levantamento

Falência: Pedidos crescem 10,1% em novembro ante outubro, diz Boa Vista

É o segundo aumento nos pedidos de falência seguido na margem, depois de três meses de quedas, de julho a setembro.

04/12/2020 11:50:01

1 mil acessos

  • compartilhe no facebook
  • compartilhe no twitter
  • compartilhe no linkedin
  • compartilhe no whatsapp

Falência: Pedidos crescem 10,1% em novembro ante outubro, diz Boa Vista

Os pedidos de falência por empresas cresceu 10,1% em novembro em comparação com outubro. É o segundo aumento seguido do índice, depois de três meses de queda, de julho a setembro. Os dados são da Boa Vista e foram divulgados hoje (4).

Na comparação com novembro de 2019, os pedidos de falência cresceram 61,4% e, no acumulado de 2020, avançam 10,5% em relação a igual período do ano anterior. Na outra ponta, as falências decretadas caíram 39,6% em novembro ante outubro, mas, apesar da redução na margem, ainda sobem 13,4% na comparação com igual mês de 2019 e 0,3% no acumulado de 2020.

“As falências decretadas apontam desaceleração em seu ritmo de queda na análise acumulada, sugerindo que as empresas ainda estão encontrando dificuldades em seus indicadores de solvência neste final de ano”, diz, em nota, a Boa Vista.

Os dados da Boa Vista mostram a queda de 16,9% dos pedidos de recuperação judicial em novembro ante outubro, equivalente a um crescimento de 30,2% na comparação com novembro de 2019 e de 19,9% no acumulado de 2020. As recuperações judiciais conferidas cederam 16,7% na margem, mas subiram 2,7% na comparação interanual e 16,9% no ano.

O indicador de falências e recuperações judiciais da Boa Vista é construído com base na apuração de dados mensais de fóruns, varas de falências, Diários Oficiais e do Poder Judiciário de Estados registrados na base do SCPC.

VER COMENTÁRIOS

O Portal Contábeis se isenta de quaisquer responsabilidades civis sobre eventuais discussões dos usuários ou visitantes deste site, nos termos da lei no 5.250/67 e artigos 927 e 931 ambos do novo código civil brasileiro.