x

Transações bancárias

Com um mês de funcionamento, Pix já foi usado por 46 milhões de brasileiros

O Pix está em vigor desde novembro e já conquistou 47% da população economicamente ativa.

16/12/2020 09:55:01

2,5 mil acessos

  • compartilhe no facebook
  • compartilhe no twitter
  • compartilhe no linkedin
  • compartilhe no whatsapp

Com um mês de funcionamento, Pix já foi usado por 46 milhões de brasileiros

Com um mês de funcionamento, o Pix, sistema de transferências instantâneas lançado pelo Banco Central, já tem mais de 114 milhões de chaves cadastradas por 48,8 milhões de usuários.

Dados do BC mostram que são 45,8 milhões de consumidores usando a plataforma até a data desta quarta-feira (16). O número corresponde a 47% da população economicamente ativa do país, composta por 96,1 milhões de pessoas, de acordo com os dados mais recentes do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Cada transação movimenta, em média, R$ 883. A fase de testes do sistema começou no dia 3 de novembro e, desde então, já foram mais de 77 milhões de transferências.

Mas, apesar de trazer praticidade ao dia a dia das pessoas, o sistema ainda tem a desconfiança de muita gente. O Pix ainda não teve instabilidade ou grandes falhas de segurança. O Banco Central garante que os pagamentos instantâneos são tão seguros quanto as transferências via TED e DOC.

Transações e chaves Pix

O recorde de valor transacionado no sistema de pagamentos instantâneos foi observado no último dia 14, quando foram feitas 4,4 mil transferências via Pix. Essas transações movimentaram R$ 4,7 bilhões, o maior valor desde o início da operação da plataforma. No primeiro dia de funcionamento amplo da plataforma foram transacionados R$ 971 milhões.

O Pix funciona 24 horas por dia, 7 dias por semana. Dados do BC ainda mostram que os usuários gostam de "fazer um Pix" às 11h30, horário em que são feitas, em média, 66.738 movimentações pelo sistema todos os dias.

Até agora, foram cadastradas 114.483.735 chaves Pix. As chaves são o instrumento de identificação dos usuários para o recebimento de transferências.

Essas chaves podem ser o número do CPF, CNPJ, celular, e-mail ou sequência com números e letras a partir da qual será gerado um QR Code.

Por enquanto, o CPF é o tipo de chave preferido dos usuários: são 39,7 milhões de cadastros usando o documento. As chaves aleatórias vêm logo depois, com 28,6 milhões de cadastros.

A lista ainda tem celular (25,6 milhões de cadastros), e-mail (17,9 milhões) e CNPJ (2,4 milhões de chaves).

O Banco Central informa que, das 114 milhões de chaves cadastradas, 109 milhões pertencem a consumidores, enquanto outras 5 milhões são de empresas.

VER COMENTÁRIOS

O Portal Contábeis se isenta de quaisquer responsabilidades civis sobre eventuais discussões dos usuários ou visitantes deste site, nos termos da lei no 5.250/67 e artigos 927 e 931 ambos do novo código civil brasileiro.