x

PEC Emergencial

Paralisação dos fiscais da Receita Federal alcança 90% de adesão

Movimento é sobre trecho da PEC Emergencial que desvincula recursos para o órgão.

10/03/2021 10:00:02

5,2 mil acessos

  • compartilhe no facebook
  • compartilhe no twitter
  • compartilhe no linkedin
  • compartilhe no whatsapp

Paralisação dos fiscais da Receita Federal alcança  90% de adesão

Nesta terça-feira (9), servidores da Receita Federal fizeram uma paralisação em protesto a um dispositivo da PEC Emergencial que desvincula recursos para o órgão. De acordo com o Sindicato Nacional dos Auditores Fiscais da Receita Federal (Sindifisco Nacional), o movimento teve a adesão de 90% dos fiscais.

O dispositivo no qual a categoria pede mudança, já foi aprovado pelo Senado, em dois turnos, e pela Câmara nesta madrugada. Está programado que o movimento continue ainda hoje, já que a Casa ainda deve analisar os destaques da proposta.

A paralisação decorre de um trecho que altera a Constituição, possibilitando ao Fisco e às administrações tributárias estaduais e municipais terem despesas custeadas por fundos alimentados por multas arrecadadas por esses órgãos.

Kleber Cabral, presidente do Sindifisco, afirmou que a paralisação nas unidades aduaneiras não está afetando o controle de cargas perecíveis, animais, medicamentos, insumos e equipamentos relacionados ao combate à Covid-19. Ainda de acordo com ele, não está havendo tampouco prejuízo a passageiros em viagem internacional, bem como ao atendimento geral à população.

Em nota, o Sindifisco mencionou que o "jabuti que desvincula recursos para a administração tributária foi um ato de agressão contra o Estado brasileiro e não ficará sem resposta".

O sindicato ainda informou que, caso não haja reversão da proposta, a medida irá reduzir à metade a estrutura física da Receita, levando ao fechamento de delegacias e agências em todo o país e à precarização do atendimento e da fiscalização.

VER COMENTÁRIOS

O Portal Contábeis se isenta de quaisquer responsabilidades civis sobre eventuais discussões dos usuários ou visitantes deste site, nos termos da lei no 5.250/67 e artigos 927 e 931 ambos do novo código civil brasileiro.