x

Prorrogação

BEm: secretário acredita que benefício emergencial não precisará ser prorrogado

Segundo o secretário Bruno Bianco, o programa não precisará ser renovado, já que a sua cobertura está alinhada à perspectiva de imunização completa da população.

10/06/2021 14:00:01

3,9 mil acessos

  • compartilhe no facebook
  • compartilhe no twitter
  • compartilhe no linkedin
  • compartilhe no whatsapp

BEm: secretário acredita que benefício emergencial não precisará ser prorrogado Terje Sollie/Contábeis

O Programa Emergencial de Manutenção e Renda, o BEm, não deve ser prorrogado. A informação foi divulgada nesta quarta-feira (09) pelo secretário da Previdência e Trabalho, Bruno Bianco.

Durante a transmissão de uma live do portal Jota, o secretário afirmou que o benefício emergencial não precisará ser renovado considerando a perspectiva de imunização completa da população economicamente ativa contra a Covid-19.

De acordo com ele, a imunização permite a volta ao trabalho com maior segurança, além do relaxamento de restrições a atividades.

“Do ponto de vista do emprego, não haverá problema”, comentou o secretário da pasta do ministério da Economia responsável pelas políticas de trabalho. “As vacinas estão chegando, estão sendo aplicadas. O cenário de setembro ou outubro para a vacinação da população economicamente ativa é perfeitamente factível”, acrescentou Bianco.

Retomada da economia

Citando como exemplo a construção, o secretário disse que alguns setores estão utilizando menos o BEm, que permite a suspensão de contratos e redução salarial na travessia da crise sanitária. “Estão andando com as próprias pernas.”

Ele ponderou que, no caso de agravamento e nova onda da pandemia, o governo terá que reformular as políticas sociais, mas este não é, na avaliação do secretário, o cenário mais provável. “Se tivermos um acirramento, novas ondas, novas fases, voltaremos às pranchetas e reformularemos as políticas sociais, o que não acredito”, afirmou.

BEm

O Programa Emergencial De Manutenção do Emprego e Renda foi instituído pela MP 1.045/2021 que permite a redução e suspensão de contratos de trabalho. A ideia é amenizar os impactos econômicos da pandemia para as empresas.

Como contrapartida, trabalhadores podem receber um benefício para complementar a renda.

A MP perde validade no dia 25 de agosto.

VER COMENTÁRIOS

O Portal Contábeis se isenta de quaisquer responsabilidades civis sobre eventuais discussões dos usuários ou visitantes deste site, nos termos da lei no 5.250/67 e artigos 927 e 931 ambos do novo código civil brasileiro.

Ajude a divulgar o nosso Congresso de Contabilidade.

Inscreva-se e compartilhe

Salve a imagem e compartilhe em suas redes sociais.

Ajude a divulgar o nosso Congresso de Contabilidade.

Inscreva-se e compartilhe

Salve a imagem e compartilhe em suas redes sociais.