x

SCORE SERASA

Serasa altera cálculo do score de crédito; confira como fica

Em novo cálculo, bons hábitos do pagador se tornam ainda mais relevantes

07/07/2021 10:00:01

21,7 mil acessos

  • compartilhe no facebook
  • compartilhe no twitter
  • compartilhe no linkedin
  • compartilhe no whatsapp

Serasa altera cálculo do score de crédito; confira como fica Foto: Pexels

O Serasa lançou recentemente uma nova forma de calcular a métrica que avalia o risco de inadimplência das pessoas físicas. Com essa nova conta, alguns usuários do aplicativo podem perceber diferença na sua pontuação.

O Score 2.0, nome dado pelo Serasa ao novo cálculo, considera mais relevante os bons hábitos de pagamento do que o histórico de dívidas atrelados àquele CPF. Ainda de zero a mil, a melhor pontuação facilita a aprovação de linhas de crédito e melhores juros, pois prevê um menor risco de endividamento e inadimplência pelo pagador.A nova pontuação utilizando este novo formato só está disponível pelo aplicativo por enquanto, mas instituições financeiras que consultarem o CPF já terão acesso ao score atualizado.

Cálculo Score 2.0

No novo modelo, o que muda são os pesos de cada item que avalia o score de cada um. Confira abaixo:

 

Critérios de cálculo

Score 1.0

Score 2.0

Dados positivos (cartão de crédito, consórcio, consignado, empréstimos e financiamentos) comportamentos de pagamento, tempo dos contratos e tipos de contratos

26%

72%

Informações de dívidas, histórico de regularização e em aberto

57%

19%

Consultas para novos contratos de serviço ou crédito

17%

19%

Novas faixas de Score

Na nova versão, outro item sofreu alteração: as faixas de score. Essas determinam quais valores configuram uma pontuação melhor ou pior. Confira:

Faixa de Score

Score 1.0

Score 2.0

Muito bom

800-1000

701-1000

Bom

600-800

501-700

Regular

400-600

301-500

Baixo

0-400

0-300

 

VER COMENTÁRIOS

O Portal Contábeis se isenta de quaisquer responsabilidades civis sobre eventuais discussões dos usuários ou visitantes deste site, nos termos da lei no 5.250/67 e artigos 927 e 931 ambos do novo código civil brasileiro.