x

planejamento

Seis dicas para otimizar os negócios de pequenas e médias empresas

CEO da Débito Direto, plataforma de centralização, organização e pagamento de contas para empresas, recomenda alguns passos para melhorar a gestão

06/09/2021 16:30:01

3,4 mil acessos

  • compartilhe no facebook
  • compartilhe no twitter
  • compartilhe no linkedin
  • compartilhe no whatsapp

Seis dicas para otimizar os negócios de pequenas e médias empresas Foto de Fox no Pexels

Em meio a dificuldades, criam-se oportunidades. Em um momento de incertezas políticas e econômicas e a crise por conta da pandemia, muitas pessoas resolveram empreender. É o que aponta um levantamento feito pelo Sebrae, que mostra que mais de 1 milhão de micro e pequenas empresas foram abertas no Brasil entre janeiro e abril deste ano.

Fazendo uma comparação, ao longo de todo 2020 foram registrados cerca de 4 milhões de novos CNPJs, sendo que nos mesmos quatro primeiros meses do ano foram mais de 316 mil micro e pequenas empresas fechadas no país, o que significa, aproximadamente, 31% do total de empreendimentos fechados no ano passado. 

Além do cenário adverso, é preciso entender que, para manter o negócio sustentável, adotar algumas práticas são fundamentais. A pesquisa “Sobrevivência de Empresas”, feita recentemente também pelo Sebrae, mostra que três em cada 10 microempreendedores individuais (MEIs) fecham as portas em até cinco anos de atividade no Brasil. A taxa de mortalidade desses negócios é de 29%. As microempresas possuem uma taxa de 21,6% e as de pequeno porte, 17%. 

Entre alguns aspectos apontados como fatores que contribuem para a sobrevivência e mortalidade das empresas estão: experiência no ramo, planejamento do negócio, gestão do negócio e capacitação dos donos em gestão empresarial.

A gestão financeira é também uma das grandes dificuldades apontadas por empreendedores e empresários, pois quanto menor o porte da empresa, mais difícil de conseguir crédito para manter o capital de giro e enfrentar os desafios. A partir desses dados, Bruno Grahl, CEO da Débito Direto, fintech de gestão financeira, recomenda algumas dicas, com base na sua experiência na área e com seus clientes de diferentes setores.
 
1- Capacitação e inovação: a pandemia oportunizou ainda mais acesso a conteúdos digitais para aprendizagem. Por isso, ficou mais fácil e acessível aprender novas habilidades e aprofundar outros conhecimentos técnicos necessários ao se pensar em abrir e planejar um negócio e também para aprimorar a gestão, vislumbrando novas possibilidades para você aplicar no seu negócio. Aproveite, existem muitas opções disponíveis gratuitamente com conteúdo rico para ajudar a ser mais criativo e inovar no seu empreendimento.
 
2- Acompanhe o fluxo de caixa: é fundamental ficar atento a todas as movimentações do seu fluxo de caixa. Avalie tudo o que entra e tudo aquilo que sai. Quanto mais automatizados forem esses dados, melhor. Assim você economiza tempo e garante que aquelas informações estejam corretas. Desenvolver gráficos também ajuda a visualizar e ter o maior controle da situação, pois em apenas alguns segundos é possível identificar qual é a situação atual do seu empreendimento. Além disso, verifique se todos os gastos são realmente necessários e se estão valendo a pena, ou se é necessário recuar e desenvolver novas estratégias. Sempre é possível economizar, principalmente quando uma avaliação minuciosa de gastos desnecessários nunca tenha sido feita. 
 
3- Tenha ajuda de contadores: determinados gastos são, na verdade, investimentos. Um deles é a contratação de um contador. Sair do vermelho e manter-se longe dessa zona é muito mais fácil quando a empresa, mesmo que pequena, conta com a ajuda destes profissionais. Além de organizar todas as contas e o livro caixa da empresa, bons contadores saberão economizar em impostos (o que, no Brasil, sabemos que é uma grande vantagem). Estando os pequenos e jovens empresários extremamente sobrecarregados, contar com ajuda de profissionais especializados é muito importante para dar foco a outros pontos do negócio. 
 
4- Utilize a tecnologia a seu favor: hoje existe uma infinidade de ferramentas para trazer vantagens ao dia a dia. A Débito Direto é uma dessas opções, que surgiu com o propósito de economizar tempo e dinheiro de empreendedores e empresários, a partir da centralização, organização e pagamento de contas para empresas.

A plataforma gratuita permite a quitação de boletos de forma integrada e propõe soluções em parcelamentos, além de descontos quando a empresa realizar pagamentos antes do prazo de vencimento. Desta forma, o usuário cadastra todos os tipos de conta, fornecedores, impostos, despesas correntes, entre outras, que ficam armazenadas no perfil a partir do primeiro registro, já organizando as contas com datas de vencimentos conjuntas e otimizando também o tempo a cada período com esses pagamentos.

Conforme surgem novas despesas ou saem outras, é possível gerenciar para adicionar ou excluir pelo aplicativo, site, WhatsApp ou e-mail. “No seu perfil da Débito Direto, o empreendedor ou empresário possui acesso a todas as suas contas do mês, pode selecioná-las e pagar com um pix, economizando tempo e trabalho de acesso a diversos bancos”, comenta o CEO da Débito Direto, Bruno Grahl.
 
5- Renegocie suas dívidas: o fluxo de vendas está realmente baixo e isso dá um baque na receita, fazendo com que as dívidas cheguem. É importante encará-las de frente, mas, claro, tentar encontrar a melhor maneira de quitá-las. Sendo assim, tente renegociar as suas dívidas, pois é possível encontrar condições bem interessantes. 
 
6- Não misture dívidas pessoais e empresariais: separe os gastos, bem como a forma de pagamento e controle de dívidas. Misturar essas duas receitas é um dos maiores erros do pequeno empreendedor e empresário. “Outra dica sobre tudo isso é: mantenha a calma, o momento está realmente difícil para todos. O movimento está baixo e as dívidas batendo à porta, para solucionar tudo isso busque ter uma visão detalhada do seu negócio”, pondera Bruno.

Fonte: Débito Direto

VER COMENTÁRIOS

O Portal Contábeis se isenta de quaisquer responsabilidades civis sobre eventuais discussões dos usuários ou visitantes deste site, nos termos da lei no 5.250/67 e artigos 927 e 931 ambos do novo código civil brasileiro.