x

BANDEIRA ESCASSEZ HÍDRICA

Aumento na conta de luz preocupa consumidores; confira formas de economizar

A nova bandeira de escassez hídrica deve aumentar a conta de luz em uma média de 6,78%.

06/09/2021 18:30:02

2,6 mil acessos

  • compartilhe no facebook
  • compartilhe no twitter
  • compartilhe no linkedin
  • compartilhe no whatsapp

Aumento na conta de luz preocupa consumidores; confira formas de economizar Foto: Pixabay

Logo no primeiro dia do mês de setembro a nova bandeira de escassez hídrica começou a valer, preocupando o consumidor com seu acréscimo de R$ 14,20 a cada 100 quilowatts-hora (kWh) consumidos, encarecendo em uma média de 6,78% a conta mensal do brasileiro, segundo a Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel).

A nova tarifa, como o nome sugere, foi criada devido à escassez das chuvas, substituindo a então bandeira vermelha 2 e será aplicada até o dia 30 de abril de 2022, incentivando as pessoas a buscarem métodos que reduzam os valores desta conta nos próximos meses.

Para ajudar a contornar este momento, a Associação Brasileira de Distribuidores de Energia Elétrica (Abradee) se uniu ao Ministério de Minas e Energia (MME) e a Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) para lançar a campanha de consumo consciente de energia elétrica, trazendo dicas de economia no site Consumo Consciente Já.

Dicas da campanha Consumo Consciente Já

Confira abaixo algumas das melhores dicas.

  • Retirar carregadores celulares e de notebooks da tomada se estiverem fora de uso;
  • Desligar microondas e outros aparelhos que possam ficar ligados o dia todo sem necessidade;
  • Reduzir o tempo e cortar o fluxo de água durante o banho também é uma estratégia válida;
  • A máquina de lavar além de água, consome muita energia, por isso planeje os ciclos de lavagem utilizando o máximo da capacidade, evitando assim mais ciclos;
  • Evite o uso do ferro de passar roupa e caso precise utilizar, desligue se for fazer pausas;
  • Opte por lâmpadas de LED.

 

VER COMENTÁRIOS

O Portal Contábeis se isenta de quaisquer responsabilidades civis sobre eventuais discussões dos usuários ou visitantes deste site, nos termos da lei no 5.250/67 e artigos 927 e 931 ambos do novo código civil brasileiro.