x

Precatórios

Vice da Câmara coleta assinaturas para tirar precatórios do teto de gastos

Deputado afirma que a medida abriria um espaço fiscal de R$ 20 bilhões, mas precisa conseguir 171 assinaturas para o projeto ir adiante.

10/09/2021 15:30:01

616 acessos

  • compartilhe no facebook
  • compartilhe no twitter
  • compartilhe no linkedin
  • compartilhe no whatsapp

Vice da Câmara coleta assinaturas para tirar precatórios do teto de gastos Fabio Rodrigues Pozzebom / Agência Brasil

O vice-presidente da Câmara dos Deputados, Marcelo Ramos, passou a coletar assinaturas para viabilizar a PEC que pretende retirar parte do pagamento dos precatórios do teto de gastos.

De acordo com o deputado, a medida abriria um espaço fiscal de R$ 20 bilhões. Contudo, precisa conseguir 171 assinaturas para o projeto ir adiante.

Além disso, a proposta mantém sob o teto precatórios em volume igual ao de 2016, atualização pela inflação e retira os demais.

O texto de Ramos sugere uma inclusão no artigo da Constituição que trata do limite para despesas federais, estabelecendo que “não se incluem na base de cálculo e nos limites estabelecidos” as despesas com pagamento de precatórios judiciais e requisições de pequeno valor.

Em defesa do projeto, o deputado alega que os precatórios são despesas obrigatórias que possuem a mesma natureza jurídica de repasses para Estados e municípios e à justiça eleitoral, e que, por isso, não deveriam ter permanecido dentro do teto de gastos.

Precatórios

A ideia é que o texto tramite paralelamente à PEC que trata dos precatórios encaminhada pelo governo ao Congresso, que sugere, entre outras medidas, deixar de pagar a totalidade dos precatórios e parcelar os débitos em até 10 anos. Para ele, a proposta enviada pode ser classificada como uma “pedalada fiscal”.

“Essa é a PEC do calote e da pedalada fiscal. Estamos falando em parcelar compulsoriamente uma decisão transitada em julgado pela qual os credores esperaram por anos”.

O cenário de aumento dos gastos com precatórios para mais de R$ 89 bilhões em 2022 tem preocupado o governo, que vem procurando espaço fiscal desde o início do ano para a reformulação do Bolsa Família, programa social considerado essencial para que o presidente Jair Bolsonaro retome terreno sobre os eleitores mais necessitados.

VER COMENTÁRIOS

O Portal Contábeis se isenta de quaisquer responsabilidades civis sobre eventuais discussões dos usuários ou visitantes deste site, nos termos da lei no 5.250/67 e artigos 927 e 931 ambos do novo código civil brasileiro.

Inscritos no CONBCON 2021 ganham prêmios.

Inscreva-se e compartilhe

Salve a imagem e compartilhe em suas redes sociais.

Ajude a divulgar o nosso Congresso de Contabilidade.

Inscreva-se e compartilhe

Salve a imagem e compartilhe em suas redes sociais.

Ajude a divulgar o nosso Congresso de Contabilidade.

Inscreva-se e compartilhe

Salve a imagem e compartilhe em suas redes sociais.

?>