x

REAJUSTE NOS PLANOS DE SAÚDE

Aumento de quase 10% do plano de saúde para MEIs e pequenos empresários pesa bolso dos empreendedores

A alta dos planos para até 29 pessoas foi de 9,84% segundo dados da Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS).

08/10/2021 18:30:01

1,6 mil acessos

  • compartilhe no facebook
  • compartilhe no twitter
  • compartilhe no linkedin
  • compartilhe no whatsapp

Aumento de quase 10% do plano de saúde para MEIs e pequenos empresários pesa bolso dos empreendedores Foto: Pexels

Planos de saúde coletivos para até 29 pessoas, geralmente adotados por pequenos empresários e Microempreendedores Individuais tiveram um aumento bem mais significativo do que os outros tipos de plano neste ano.

Segundo informações da Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) os planos menores tiveram reajuste de 9,84%, enquanto os planos para mais de 30 pessoas aumentaram em 5,55% e os individuais tiveram valores reduzidos em 8,19%.

A diferença do reajuste entre os planos mostra a ineficácia da resolução criada pelo órgão para amenizar aumentos para até 29 membros, criada em 2012, a medida busca agrupar dentro de uma mesma seguradora todos os contratos desse tipo e então calcular o reajuste, considerando todos os gastos dos planos juntos para diluir os custos.

As regras do reajuste são aplicadas de formas diferentes dependendo da configuração do plano. O aumento dos individuais é determinado pela ANS, os coletivos podem determinar seus preços sem participação da agência, valendo o que for acordado entre as operadores e clientes de grande e pequeno porte.

Essa situação é prejudicial aos pequenos e microempreendedores que contam com a contratação do serviço mas tem pouca força nesse tipo de negociação, mas as seguradoras afirmam que tudo isso é previsto em contrato e que as altas acontecem devido aos custos dos procedimentos.

 

VER COMENTÁRIOS

O Portal Contábeis se isenta de quaisquer responsabilidades civis sobre eventuais discussões dos usuários ou visitantes deste site, nos termos da lei no 5.250/67 e artigos 927 e 931 ambos do novo código civil brasileiro.