x

TRABALHISTA

Três em cada quatro restaurantes seguem operando com quadro reduzido de funcionários

Mais de 70% dos estabelecimentos do setor de alimentação ainda não se recuperaram e trabalham com menos empregados do que antes da pandemia.

13/10/2021 14:00:01

1,2 mil acessos

  • compartilhe no facebook
  • compartilhe no twitter
  • compartilhe no linkedin
  • compartilhe no whatsapp

Três em cada quatro restaurantes seguem operando com quadro reduzido de funcionários Foto: Pexels

De acordo com informações da Associação Brasileira de Bares e Restaurantes (Abrasel), 72% dos restaurantes brasileiros estão operando com quadro de colaboradores bem mais restrito em comparação ao time que possuíam antes da pandemia.

Ou seja, esse cenário é a nova realidade no caso de  três em cada quatro estabelecimentos do setor entrevistados, sendo que as capitais São Paulo e Rio de Janeiro foram as que mais tiveram demissões no setor até abril de 2021.

Novas contratações, no entanto, estão no horizonte para 31% destes comércios, que gostariam de expandir seu quadro dentro de três meses. Os dados ainda não são muito animadores em um plano geral, já que 58% disseram que ainda devem ajustar o quadro de empregados, sendo que 27% desse número ainda pretendem demitir funcionários.

Desafios na busca de mão de obra

Para os empregadores que estão com vagas abertas, um a cada cinco entrevistados relatou dificuldade em encontrar mão de obra para cargos mais qualificados, como gerentes e chefs de cozinha, e logo na sequência registraram o desafio em encontrar especialistas de restaurantes segmentados, como de comida japonesa.

O faturamento também reflete neste momento de reavaliações de equipes e novas contratações, já que somente 53% dos entrevistados relataram ter um aumento na renda em comparação a agosto de 2020 e 35% ainda estão trabalhando com prejuízo.

 

VER COMENTÁRIOS

O Portal Contábeis se isenta de quaisquer responsabilidades civis sobre eventuais discussões dos usuários ou visitantes deste site, nos termos da lei no 5.250/67 e artigos 927 e 931 ambos do novo código civil brasileiro.