x

Novo calculo

Salário mínimo: ajuste em inflação da baixa renda para 2022 pode elevar piso para R$ 1.200

O salário mínimo é reajustado anualmente e, diante da nova previsão, pode haver um aumento de R$ 31 em relação à previsão do governo na LOA.

01/11/2021 10:00:01

18,3 mil acessos

  • compartilhe no facebook
  • compartilhe no twitter
  • compartilhe no linkedin
  • compartilhe no whatsapp

Salário mínimo: ajuste em inflação da baixa renda para 2022 pode elevar piso para R$ 1.200 foto: Daniel Isaia / Agência Brasil

Com a revisão do INPC,  o Índice Nacional de Preços ao Consumidor, o salário mínimo poderá ter um reajuste maior em 2022 do que o previsto pelo governo na Lei Orçamentária, passando de 8,4% para 9,1%. Diante disso, o aumento do piso salarial será de R$ 31, passando de  R$ 1.169 e chegando a R$ 1.200.

O secretário especial do Tesouro e Orçamento, Esteves Colnago, confirmou que a revisão foi feita para validar as previsões para as contas públicas apresentadas pela nova equipe da Economia na última sexta-feira.

Os novos secretários do ministério divulgaram efeitos da PEC dos Precatórios que muda o cálculo do teto de gastos e para o pagamento das dívidas judiciais a partir do ano que vem.

Um dos maiores impactos no orçamento federal é o valor do salário mínimo, que incide sobre aposentadorias e benefícios sociais.

De acordo com o levantamento, para cada R$ 1 de alta no piso, a despesa pública sobe R$ 355 milhões segundo cálculos da equipe econômica. A revisão do Índice de inflação deve gerar impacto de R$ 11 bilhões no ano que vem.

Reajuste do salário mínimo

O reajuste anual do salário mínimo é feito com base no INPC, que reflete a inflação das famílias de baixa renda.

Pela regra do teto de gastos, o limite para os gastos do setor público federal é reajustado pelo IPCA de junho do ano anterior. Enquanto boa parte das despesas, caso do salário mínimo, deve ser corrigida pelo INPC do ano calendário, entre janeiro e dezembro.

Nos últimos anos tem havido um descasamento entre os dois índices, provocando redução dos recursos disponíveis para os gastos do governo. 

No ano passado, o IPCA de junho ficou em 2,13%, liberando cerca de R$ 30 bilhões para aumento dos gastos. O INPC de 2020 fechou em 5,45%.

A diferença deveria ter levado o salário mínimo deste ano para R$ 1.101,95, mas o governo não fez a correção e manteve o valor em R$ 1.100. Foi o segundo ano consecutivo sem aumento real do salário mínimo em mais de 20 anos.

A decisão final sobre o reajuste de 2022 só será tomada depois que a PEC dos Precatórios for aprovada e altere o cálculo do teto de gastos, liberando R$ 91,3 bilhões no orçamento para acomodar o novo benefício social do governo de R$ 400 para 17 milhões de pessoas e outras medidas desejadas pelo presidente Jair Bolsonaro.

Fonte: com informaçõe da CNN

VER COMENTÁRIOS

O Portal Contábeis se isenta de quaisquer responsabilidades civis sobre eventuais discussões dos usuários ou visitantes deste site, nos termos da lei no 5.250/67 e artigos 927 e 931 ambos do novo código civil brasileiro.