x

Empresarial

Negociação de dívidas pode ser a salvação de empresas na pandemia

Especialista dá dez dicas que podem salvar empresas de uma crise.

23/01/2022 15:00:01

3,9 mil acessos

  • compartilhe no facebook
  • compartilhe no twitter
  • compartilhe no linkedin
  • compartilhe no whatsapp

Negociação de dívidas pode ser a salvação de empresas na pandemia Pexels

Com a pandemia da Covid-19, muitos empresários ficaram preocupados com a gestão de suas empresas, visto que a economia estava passando por um momento de instabilidade. Porém, aprender a negociar dívidas e relacionar-se com seus credores pode ser um dos métodos para a sobrevivência do negócio.

O que não se pode negar é o fato de muitas empresas estarem endividadas, lutando para a sua continuidade no mercado e mantendo as portas fechadas, uma vez que o isolamento social, as incertezas no âmbito econômico e na saúde tornam-se alvos de grande relevância.

É importante deixar claro que esses endividamentos não concentram-se apenas nos negócios, pessoas físicas também têm sofrido com a situação atual. 

No entanto, criar estratégias para mudar a situação e situar a empresa é um fator necessário. Afonso Morais , sócio fundador da Morais Advogados Associados e especialista em recuperação de crédito empresarial, destaca 10 pontos que podem ajudar as pessoas e empresas a negociarem suas dívidas com os credores em momentos de crise.

  • Organizar as finanças: para assim visualizar o valor das despesas, no mínimo, dos últimos três meses, além das dívidas já existentes

  • Destino do dinheiro: por meio de uma reserva financeira e com as previsões de entrada no caixa, conseguirá pagar as despesas já existentes

  • Renegociação: peça aos seus credores um aumento de prazo para pagamento e diminuição do valor mensal das parcelas

  • Situação pandêmica: neste momento, os credores estão mais flexíveis em renegociar prazos de pagamentos, sem aumentar as parcelas

  • Boa negociação: é importante tem em mente o que pode ser pago para fazer com que a negociação seja eficiente

  • Argumentos jurídicos: é possível usar esses tipo de argumentos. Procurar uma consultoria jurídica e negocial, assim haverá uma melhor forma de concluir um acordo bom para ambos os lados. 

  • Prioridades: pagamento das dívidas essenciais ou aquelas com taxas de juros altas. Liquide todas primeiro

  • Rever contrato: se o documento conter medidas especiais em casos necessários, utilize essa cláusula para recorrer ao credor

  • Reveja seus fornecedores: preços mais atrativos podem evitar dívidas maiores 

  • Corte de despesas: mantenha o que é essencial, para que assim a empresa se recupere o mais rápido possível

Fonte: com informações da Assessoria Grupo Alliance 

VER COMENTÁRIOS

O Portal Contábeis se isenta de quaisquer responsabilidades civis sobre eventuais discussões dos usuários ou visitantes deste site, nos termos da lei no 5.250/67 e artigos 927 e 931 ambos do novo código civil brasileiro.