x

OPORTUNIDADES

Indústria deve qualificar quase 10 milhões de pessoas até 2025, afirma CNI

A principal demanda do setor será na requalificação de profissionais.

17/05/2022 16:00:01

821 acessos

  • compartilhe no facebook
  • compartilhe no twitter
  • compartilhe no linkedin
  • compartilhe no whatsapp

Indústria deve qualificar quase 10 milhões de pessoas até 2025, afirma CNI Pexels

Uma nova projeção do Mapa do Trabalho Industrial 2022-2025, feito pelo Observatório Nacional da Indústria e divulgado pela Confederação Nacional da Indústria (CNI), prevê que o país deverá qualificar 9,6 milhões de brasileiros até 2025 para atender as demandas do setor industrial.

O levantamento, divulgado nesta segunda-feira (16), avalia que estes funcionários serão fundamentais para suprir as necessidades projetadas pelas indústrias nos próximos anos e desenvolver ainda mais o setor no Brasil.

Do total previsto, 2 milhões precisarão de qualificação visando à formação inicial de inativos e novas oportunidades, e os outros 7,6 milhões serão via formação continuada para aqueles que devem se atualizar constantemente para exercer suas funções.

De acordo ainda com a CNI, isso significa que 79% da necessidade de formação nos próximos anos terão foco em aperfeiçoamento.

Projeções miram nas cadeias produtivas

Ainda segundo a CNI, as projeções tomam por base a necessidade de manuseio de novas tecnologias e mudanças na cadeia produtiva, que modificam o mercado e a forma de trabalho, devendo investir na requalificação dos profissionais do setor.

O levantamento busca identificar as futuras demandas por mão de obra e assim orientar a formação profissional de base industrial do país.

A maior demanda prevista será para atuações transversais, que permitam ao trabalhador atuar em diferentes setores, como técnico em segurança ao trabalho, apoio em pesquisa e outros.

 

VER COMENTÁRIOS

O Portal Contábeis se isenta de quaisquer responsabilidades civis sobre eventuais discussões dos usuários ou visitantes deste site, nos termos da lei no 5.250/67 e artigos 927 e 931 ambos do novo código civil brasileiro.