x

TCU

745 mil requerimentos aguardam análise do INSS

TCU afirma que INSS demoraria 12 anos para zerar os pedidos e solicitou um novo plano de ação.

08/06/2022 15:30:02

5,1 mil acessos

  • compartilhe no facebook
  • compartilhe no twitter
  • compartilhe no linkedin
  • compartilhe no whatsapp

745 mil requerimentos aguardam análise do INSS Pedro França/Agência Senado

O Tribunal de Contas da União (TCU) concedeu um prazo de 60 dias para que o Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) e o Ministério do Trabalho e Previdência apresentem plano de ação para reduzir o estoque atual de 745 mil requerimentos de compensação previdenciária que aguardam análise.

A corte apontou que o INSS não dispõe hoje de capacidade operacional suficiente para reduzir a fila de pedidos represados. Segundo estimativa do TCU, seriam necessários cerca de 12 anos para que o instituto zerasse o estoque, considerando a força de trabalho e produtividade atuais.

O TCU realizou auditoria operacional para avaliar a estruturação do sistema de compensação. A decisão ocorreu na sessão da última quarta-feira (1º).

Fila INSS

Entre dezembro de 2019 e junho de 2021, a fila de requerimento teve aumento de 54,9%.

Uma das causas do crescimento são as falhas estruturais e concorrência dos serviços da compensação previdenciária com as demais filas do INSS.  

Exemplo disso é o estoque de reconhecimento inicial de benefícios, que acumulava, em junho de 2021, 1,8 milhão de requerimentos, com crescimento de 32% em relação a junho de 2020.

Além disso, o estoque Monitoramento Operacional de Benefícios (MOB) de análise de benefícios com indícios de irregularidade,acumulava estoque de 611 mil tarefas, com crescimento de 112% em relação a junho de 2020, de acordo com o ministro Aroldo Cedraz.

Compensação previdenciária

O TCU determinou ainda que a Secretaria de Previdência, em conjunto com o Conselho Nacional dos Regimes Próprios de Previdência Social, crie um relatório para mostrar as receitas e despesas previdenciárias e implemente indicadores e metas para avaliação das compensações previdenciárias.

Nos últimos cinco anos, o Regime Próprio de Previdência Social (RPPS) deixou de arrecadar um valor estimado entre R$ 6,5 bilhões e R$ 38,4 bilhões, por não ter realizado a compensação previdenciária.

O TCU recomendou à Casa Civil que articule com as lideranças do Poder Legislativo ações para implementar a compensação previdenciária do tempo de serviço militar. “O TCU fará agora o monitoramento dos encaminhamentos propostos”, informou a corte.

Com informações do Metrópoles

Leia mais:

Novo presidente do INSS cria plano para acabar com fila de espera até julho de 2022; conheça as estratégias

Medidas anunciadas para reduzir filas do INSS vão funcionar?

VER COMENTÁRIOS

O Portal Contábeis se isenta de quaisquer responsabilidades civis sobre eventuais discussões dos usuários ou visitantes deste site, nos termos da lei no 5.250/67 e artigos 927 e 931 ambos do novo código civil brasileiro.