x

TRIBUTÁRIO

Após fala de Guedes, indústria alimentícia afirma que espaço para absorver custo é limitado e pede corte de impostos

A Associação Brasileira da Indústria de Alimentos (Abia), que representa grandes marcas do segmento, comenta que o corte nos impostos poderia reduzir o preço final ao cliente.

13/06/2022 12:20:01

1,4 mil acessos

  • compartilhe no facebook
  • compartilhe no twitter
  • compartilhe no linkedin
  • compartilhe no whatsapp

Após fala de Guedes, indústria alimentícia afirma que espaço para absorver custo é limitado e pede corte de impostos Pexels

A Associação Brasileira da Indústria de Alimentos (Abia) se posicionou após pedidos do presidente Jair Bolsonaro e do Ministro da Economia, Paulo Guedes, para que o setor tenha o “menor lucro possível” para conter a alta dos preços.

Em nota, a associação que representa a indústria alimentícia afirmou que a capacidade de absorção dos custos é limitada e, para aliviar os preços conforme solicitado pelo governo, sugeriu a redução dos impostos e investimento em infraestrutura.

A entidade, que representa grandes fabricantes de alimentos no país como Arcor, Coca-Cola, Danone, Mondelez, Nestlé e outras, afirmou que o segmento poderia desenvolver suas atividades em um ambiente mais favorável com impactos positivos nos preços com a redução da carga tributária.

A nota explica ainda que a alta dos preços no Brasil não é algo exclusivo do nosso mercado e sim um fenômeno global, citando motivos externos que impactam no setor.

“Após mais de dois anos de sucessivas altas nos custos de produção, a capacidade de a indústria de alimentos absorver custos é limitada. Matérias-primas, embalagens e energia representam 60% do custo de produção dos alimentos, e as altas desses insumos geram reflexos em todos os elos da cadeia produtiva”, explica a Abia em nota.

O comunicado ainda sugere a redução temporária nos impostos de importação de materiais de embalagens e insumos, podendo contribuir para o abastecimento interno, minimizando os impactos nos custos de produção e valor final que chega aos clientes.

A associação afirma que é “fundamental – e urgente – a adoção de medidas governamentais para ampliar a disponibilidade de matérias-primas essenciais à produção de alimentos”.

Com essas mudanças, a Abia acredita que a produção poderia ser mais eficiente, gerando mais empregos, arrecadando impostos, reduzindo a pressão sobre os custos de produção e que, por fim, podem impactar no preço final encontrado nos mercados.

VER COMENTÁRIOS

O Portal Contábeis se isenta de quaisquer responsabilidades civis sobre eventuais discussões dos usuários ou visitantes deste site, nos termos da lei no 5.250/67 e artigos 927 e 931 ambos do novo código civil brasileiro.