x

Apuração de custos viabiliza a tomada de decisões

Uma das mais eficientes formas de gestões no setor público é a apuração de custos. Isso porque viabiliza o processo

22/10/2008 00:00:00

1,7 mil acessos

  • compartilhe no facebook
  • compartilhe no twitter
  • compartilhe no linkedin
  • compartilhe no whatsapp

Uma das mais eficientes formas de gestões no setor público é a apuração de custos. Isso porque viabiliza o processo decisório que envolve, entre outras possibilidades, a análise de desempenho e o levantamento do resultado das políticas públicas. Quem explica é o coordenador de mestrado da Universidade Federal de Pernambuco, doutor em Controladoria e Contabilidade José Francisco Ribeiro Filho, "A mensuração do fluxo de insumos que são utilizados na prestação de serviços públicos, nos vários estágios relevantes de avaliação, apenas pode ser identificada com tal apuração."

Neste sentido, ele destaca o trabalho inovador do Conselho Federal de Contabilidade com a criação do Grupo Assessor para Elaboração das Normas Brasileiras de Contabilidade Aplicadas no Setor Público (NBCASP). "Este trabalho conta com a contribuição de profissionais de contabilidade e também pesquisadores de várias entidades representativas do setor. A agenda ainda considera a convergência com normas internacionais."

O professor explica que a apuração dos custos depende, fundamentalmente, da adoção de um modelo conceitual que defina momentos de apropriação e bases de mensuração. "A aplicação dos princípios fundamentais de contabilidade na perspectiva do setor público é essencial para isso. Destaco, especialmente, os princípios da oportunidade (essência sobre a forma); e o princípio da competência. A partir dessa visão, pode-se estabelecer os fundamentos conceituais do modelo", explica.

De acordo com Ribeiro Filho, com a Lei de Responsabilidade Fiscal, a implantação e a operacionalização de um sistema de custos nas entidades de administração pública tornam-se uma obrigação gerencial e não apenas formal. "A grande fronteira a ser perseguida é a fronteira gerencial, que possibilitará o fortalecimento do sistema de controle interno das entidades públicas, ensejando a melhoria do trabalho de velamento a cargo do controle externo; tudo caminhando para a instrumentalização do controle social, como fim último do sistema de controle na administração pública."

Cientes disso, as entidades da administração pública estão buscando a adoção de procedimentos técnicos para a implantação e operacionalização de sistemas de custos no âmbito de suas organizações. "Será necessário estabelecer a tipologia do sistema de custeio. Se, por exemplo, será o custeamento por absorção, o custeamento direto ou, ainda, o custeamento por atividades", analisa.

Fonte: Unipe - Blog de Ciências Contábeis

Enviado por: Wilson Fortunato

VER COMENTÁRIOS

O Portal Contábeis se isenta de quaisquer responsabilidades civis sobre eventuais discussões dos usuários ou visitantes deste site, nos termos da lei no 5.250/67 e artigos 927 e 931 ambos do novo código civil brasileiro.

Ajude a divulgar o nosso Congresso de Contabilidade.

Inscreva-se e compartilhe

Salve a imagem e compartilhe em suas redes sociais.

Ajude a divulgar o nosso Congresso de Contabilidade.

Inscreva-se e compartilhe

Salve a imagem e compartilhe em suas redes sociais.