x

CARREIRA

97% dos trabalhadores afirmam levar os auxílios corporativos em consideração nas propostas de emprego

Pesquisa da Robert Half revela que 40% das empresas realizaram mudanças em seus pacotes de incentivos ao longo do último ano.

12/08/2023 11:00:04

  • compartilhe no facebook
  • compartilhe no twitter
  • compartilhe no linkedin
  • compartilhe no whatsapp
40% das empresas mudaram seus benefícios com novo cenário trabalhista

97% dos trabalhadores afirmam levar os auxílios corporativos em consideração nas propostas de emprego

Com o crescente desafio de atração e retenção de profissionais qualificados, 40% das empresas realizaram mudanças em seus pacotes de incentivos ao longo do último ano. Essa constatação faz parte da mais recente pesquisa de benefícios da Robert Half. 

O estudo destaca que tanto companhias quanto profissionais têm de certa forma convergido em suas expectativas, conferindo uma nota média de sete pontos para a avaliação da cesta de auxílios oferecidos.

Benefícios como diferencial estratégico

Para o diretor geral da Robert Half para a América do Sul, Fernando Mantovani,as empresas já percebem que a oferta de benefícios atrativos não apenas impulsiona o engajamento dos colaboradores como também fortalece a marca empregadora, tornando-se um diferencial estratégico na disputa pelos melhores talentos do mercado. 

“Essa abordagem ressalta a importância de adaptar os benefícios às realidades do mercado e às necessidades dos colaboradores, buscando promover um ambiente mais satisfatório e produtivo para todas as partes envolvidas”, avalia. 

Benefícios pesam na negociação

Segundo o estudo, a maioria (97%) dos profissionais empregados afirma levar os auxílios corporativos em consideração para aceitar ou não uma proposta de emprego. Entre eles, 51% disseram que, caso benefícios julgados importantes não forem oferecidos, buscariam a negociação de um salário mais alto. Já entre os desempregados, 93% dizem avaliar os incentivos antes do aceite e 43% deles negociariam melhor o salário a depender dos auxílios ofertados.

“Considerando o cenário pós-pandêmico, já é fato: os profissionais valorizam aspectos muito além dos altos salários”, enfatiza Mantovani. “No mercado de trabalho moderno, estratégias de atração e retenção de talentos precisam levar em conta todo o pacote de remuneração. Um pacote de benefícios abrangente, que inclua programas de bem-estar e desenvolvimento, desempenha um papel fundamental na promoção da felicidade nos colaboradores. E sentir-se feliz, hoje, é o principal motivo para um profissional talentoso e disputado pelo mercado escolher ficar”, acrescenta.

Expectativa versus realidade

Embora seja visível a preocupação das companhias em repensar as cestas de incentivos, visto que 40% promoveram alterações ao longo do último ano, por vezes os benefícios ofertados não condizem com as expectativas dos colaboradores. 

Conforme pesquisa, 63% dos profissionais estão satisfeitos com os benefícios que recebem atualmente, o que representa um aumento de 8 pontos percentuais em relação à última edição do estudo, lançada no mesmo período do ano passado.

“Neste ano, 74% dos profissionais ainda manifestam o desejo de mudanças nos auxílios oferecidos, um decréscimo de 3 pontos percentuais. Ainda que a porcentagem seja alta, a mensagem é positiva, pois demonstra que a adaptação por parte das empresas é perceptível”, observa o diretor geral da Robert Half. 

“Especialmente em um contexto de trabalho híbrido, sugiro que as companhias estabeleçam canais de comunicação seguros, claros e objetivos para que os colaboradores compartilhem suas experiências e realidades, tão versáteis e particulares. A tomada de decisão em conjunto, de maneira transparente, contribui com um ambiente de trabalho mais harmônico”, completa.

Confira abaixo na tabela a comparação lado a lado dos benefícios que as empresas mais oferecem versus o que os profissionais acham mais importante. 

10 benefícios mais oferecidos pelas empresas

10 benefícios mais importantes para os profissionais

EMPRESAS

PROFISSIONAIS

Assistência médica

Assistência médica

Vale-refeição

Vale-refeição

Notebook

Vale-alimentação

Assistência odontológica

Assistência odontológica

Vale-transporte

Aportes na previdência por parte da empresa

Vale-alimentação

Estacionamento

Estacionamento

Auxílio-estudo

Celular + chip

Notebook

Auxílio-combustível

Auxílio-combustível

Apoio psicológico

Carro para uso profissional e particular

Como consequência da volatilidade do mercado de trabalho, o ranking de auxílios vem passando por mudanças nos últimos anos.

O vale-transporte, um dos benefícios previstos em lei, ocupa o quinto lugar na listagem de incentivos mais oferecidos pelas empresas. No entanto, ele foi mencionado por apenas 7% dos profissionais como um benefício importante, reforçando como a evolução dos modelos de trabalho flexíveis interferiram nessa questão.

Vale destacar, também, o auxílio-estudo, que está na sétima posição da lista dos profissionais, mas não aparece entre os top 10 dos mais oferecidos pelas empresas. No entanto, mesmo fora do ranking das empresas, 28% delas afirmam oferecer o benefício.

Benefícios alinhados aos modelos de trabalho

Vale mencionar que muitos benefícios estão alinhados com a volta de algumas empresas ao modelo de trabalho 100% presencial ou mesmo aos modelos híbridos mais conservadores, com três a quatro dias de trabalho no escritório. Esse movimento pode explicar o aumento da relevância de benefícios como estacionamento, auxílio-combustível e carro para uso profissional e particular, que nas últimas edições não tinham protagonismo.

Outros destaques do estudo revelam que o vale-alimentação é mais valorizado por profissionais do que por empresas, mesmo que esteja entre os incentivos tradicionais. Já o aporte na previdência privada, sonho de 33% dos colaboradores, é oferecido por somente 22% das companhias entrevistadas.

A valorização das cestas flexíveis

As vivências mais maleáveis, experimentadas pelos profissionais ao longo da pandemia, continuarão sendo valorizadas ao final dela, em diversos aspectos, incluindo os benefícios. Nesse sentido, mesmo que atualmente apenas 12% dos profissionais possam escolher os incentivos que se adaptem melhor à sua realidade, 81% apontam que gostariam de contar com a opção de escolha.

O gramado do vizinho é sempre mais verde?

A pergunta surge ao analisarmos os resultados do estudo, no qual 33% dos recrutadores acreditam que suas empresas oferecem melhores auxílios do que outras do setor, enquanto, curiosamente, a opinião dos profissionais é diferente, já que 48% sentem que outras companhias do mesmo segmento proporcionam incentivos mais atrativos. Esse contraste de perspectivas reflete a importância de uma análise minuciosa das estratégias de benefícios adotadas pelas empresas, mostrando que a percepção dos colaboradores pode diferir das impressões dos recrutadores.

Sobre a pesquisa

A pesquisa Benefícios 2023 contou com a participação de 1161 profissionais divididos em três grupos de 387 pessoas cada – tomadores de decisão nas empresas, profissionais empregados e profissionais desempregados. As respostas foram coletadas de forma online entre os dias 3 e 31 de maio deste ano.

Leia mais:

Confira quais benefícios podem ser concedidos para funcionários

Com informações Robert Half

Leia mais sobre

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

ARTICULISTAS CONTÁBEIS

VER TODOS

O Portal Contábeis se isenta de quaisquer responsabilidades civis sobre eventuais discussões dos usuários ou visitantes deste site, nos termos da lei no 5.250/67 e artigos 927 e 931 ambos do novo código civil brasileiro.