x

NOVIDADE

BC vai lançar um superaplicativo para reunir todos os bancos do cliente em um único local

Confira quais serão as ofertas desse novo superaplicativo, que deve ser lançado em 2024.

14/08/2023 14:00:09

  • compartilhe no facebook
  • compartilhe no twitter
  • compartilhe no linkedin
  • compartilhe no whatsapp
BC lançará superaplicativo para reunir dados bancários em um só lugar

BC vai lançar um superaplicativo para reunir todos os bancos do cliente em um único local

Os brasileiros que possuem vários aplicativos de diferentes bancos em seus smartphones terão uma surpresa em breve, com o lançamento dos "agregadores financeiros", ou “superaplicativos” – como estão sendo apelidados – que reunirão as informações das pessoas físicas atualmente espalhadas por vários bancos em uma única plataforma.

A novidade foi anunciada pelo presidente do Banco Central (BC), Roberto Campos Neto, na última sexta-feira (11).

Segundo o presidente, a expectativa é de que esse tipo de aplicativo esteja disponível dentro de um ano e meio, ou seja, próximo ao fim de 2024. O mandato de Campos Neto no comando do BC vai justamente até o fim do ano que vem. Ele já informou que não pretende continuar na instituição em 2025.

"Você vai ter seu fluxo [financeiro de todos os bancos] consolidado em um instrumento só. Então hoje a gente paga o cartão de crédito, e tem aquele 'dois de três [parcelas], cinco de oito', e você não sabe mais quanto que você deve. Você vai apertar um botão [no agregador financeiro] e vai ter lá todo o seu fluxo de caixa, como as empresas fazem hoje. Isso vai estar disponível para as pessoas físicas", explicou Campos Neto.

Foto: Reprodução/Banco Central

O agregador financeiro é mais uma etapa do "open banking", uma plataforma desenvolvida pelos participantes do sistema que permite aos clientes o compartilhamento dos dados bancários e históricos de transação com bancos e fintechs (pequenas empresas de tecnologia em serviços financeiros). O objetivo é aumentar a concorrência entre os bancos e melhorar as ofertas aos consumidores.

"A cada dia que passa, os apps agregam mais informações e produtos e serviços. Dele e de terceiros. O 'open finance' turbina esse processo em prol do consumidor. Se o consumidor tem duas, três contas em diferentes instituições financeiras, vai poder agregar todas as suas informações em um único local", disse o diretor de Regulação do BC, Otavio Damaso, em junho.

De acordo com o BC, entre as funcionalidades dos "superaplicativos" estarão:

  • Escolher de qual banco retirar recursos ao fazer um pagamento por meio do PIX;
  • Se quiser pegar crédito, o aplicativo mostrará a taxa de juros que cada banco oferece para a operação;
  • Conversão de moeda física para moeda digital, e vice-versa, entre o mesmo banco, ou diferentes instituições financeiras;
  • Realização de investimentos, possibilitando uma maior competição sobre as taxas de retorno;
  • Se tiver ações de empresas em um banco, outras instituições financeiras vão saber e poderão oferecer um custo de 'custódia' (manutenção) mais barato;
  • Bancos vão começar a competir pelos serviços ofertados, como crédito, por exemplo, pois saberão as taxas que outros cobram. E será possível fazer a "portabilidade do crédito";
  • Unificar o fluxo financeiro de débitos e créditos em uma única ferramenta.

"Se quiser fazer crédito, vai aparecer a taxa de juros que cada banco para aquela operação. Vai poder competir online pela sua operação", disse o presidente do BC.

No fim do ano passado, Campos Neto afirmou que, em sua visão de futuro, não é razoável esperar que as pessoas tenham que lidar com diferentes aplicativos para acessar informações e serviços de diferentes instituições financeiras.

O Banco Central informou que não há necessidade de regulação adicional para os agregadores financeiros, pois os regulamentos do open finance já possibilitam esse tipo de produto.

Com informações g1

Leia mais sobre

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

ARTICULISTAS CONTÁBEIS

VER TODOS

O Portal Contábeis se isenta de quaisquer responsabilidades civis sobre eventuais discussões dos usuários ou visitantes deste site, nos termos da lei no 5.250/67 e artigos 927 e 931 ambos do novo código civil brasileiro.