x

empresarial

Serviços pagos e não entregues: saiba o que fazer

Saiba como proteger seus direitos e buscar soluções quando o serviço contratado não é entregue.

28/08/2023 17:00:18

  • compartilhe no facebook
  • compartilhe no twitter
  • compartilhe no linkedin
  • compartilhe no whatsapp
O que fazer quando o serviço pago não é entregue

Serviços pagos e não entregues: saiba o que fazer Foto: Pixabay

Na dinâmica complexa das transações comerciais contemporâneas, uma questão recorrente emerge quando consumidores optam por contratar serviços. Frequentemente, após o pagamento antecipado, surge um emaranhado de desculpas e atrasos por parte dos prestadores de serviço.

Nas operações comerciais, o alicerce é construído sobre contratos bem estabelecidos. Esses acordos documentados, independentemente de sua complexidade, servem como guias que orientam a relação entre consumidores e prestadores de serviço. Detalhar aspectos do serviço, como prazos, características e formas de pagamento, não apenas resguardam o consumidor, mas também estabelecem uma base para uma prestação de serviço transparente e responsável.

O contrato em benefício de ambas as partes

O contrato não se limita a proteger apenas os consumidores. Na realidade, ele também ampara o prestador de serviço. Esse instrumento legal garante que ambas as partes compreendam suas obrigações e responsabilidades, estabelecendo um terreno equitativo para a transação.

No contexto de prestadores de serviço sem CNPJ, os desafios são ampliados. Nesse cenário, precauções adicionais se fazem necessárias. A obtenção de informações pessoais, como nome completo, documento de identidade e endereço, torna-se fundamental para lidar com potenciais conflitos.

Para aqueles que buscam um grau extra de segurança, o reconhecimento de firma em cartório emerge como uma opção viável. Embora não seja compulsório, esse procedimento garante a legitimidade das assinaturas presentes no contrato, conferindo um nível adicional de confiabilidade.

A digitalização como evidência

Em uma era digital, mensagens eletrônicas ganham valor probatório. E-mails, mensagens de WhatsApp e outros meios de comunicação virtual podem ser utilizados como elementos de prova em situações de disputa. Esses registros documentados representam os esforços do consumidor para resolver questões diretamente com o prestador.

Quando opções amigáveis de resolução não surtem efeito, o consumidor tem o direito de buscar vias judiciais. Isso pode variar desde uma queixa no Procon até uma ação legal visando rescisão contratual e restituição dos montantes pagos. Em casos mais graves, a possibilidade de buscar indenizações por danos morais também se apresenta.

A complexidade das transações de serviço exige uma abordagem informada por parte dos consumidores. Ao adotar estratégias como contratos robustos, cautelas em relação a prestadores informais e medidas judiciais, os consumidores podem mitigar os riscos associados a falhas na prestação de serviços.

Leia mais sobre

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

ARTICULISTAS CONTÁBEIS

VER TODOS

O Portal Contábeis se isenta de quaisquer responsabilidades civis sobre eventuais discussões dos usuários ou visitantes deste site, nos termos da lei no 5.250/67 e artigos 927 e 931 ambos do novo código civil brasileiro.