x

tributário

Últimos dois meses do ano são o melhor período para as empresas realizarem planejamento tributário

Novembro e dezembro constituem o melhor período para as empresas brasileiras escolherem qual será o regime de recolhimento de impostos para o ano seguinte.

28/11/2023 18:00:01

  • compartilhe no facebook
  • compartilhe no twitter
  • compartilhe no linkedin
  • compartilhe no whatsapp
Planejamento tributário: fim do ano é o momento ideal para se organizar

Últimos dois meses do ano são o melhor período para as empresas realizarem planejamento tributário

Novembro e dezembro representam o momento estratégico para as empresas no Brasil decidirem seu regime de recolhimento de impostos para o próximo ano. Essa fase é crucial para revisar estratégias, considerando os números dos últimos 12 meses, projeções para o próximo ano, o cenário de mercado e o plano de negócios para 2024.

Existem três regimes tributários principais: Simples Nacional, Lucro Presumido e Lucro Real. A escolha do regime depende da atividade, tamanho e operações da empresa, sendo aconselhável a consulta a um profissional capacitado.

Principais vantagens e desvantagens dos regimes

Simples Nacional:

Vantajoso para empresas com faturamento até R$ 300 mil mensais.

Simples na teoria, mas riscos práticos de pagamento excessivo.

Lucro Presumido:

Vantajoso se o lucro for superior à base de presunção estabelecida pela lei.

Análise comparativa crucial com PIS e Cofins.

Lucro Real:

Regime mais complexo, mas alíquotas de PIS e Cofins não cumulativas.

Reforma Tributária e o Fator R:

Durante a tramitação da reforma tributária, empreendedores devem considerar os impactos.

Desconhecimento do Fator R, dispositivo de redução de impostos para empresas do Simples Nacional.

Fator R e benefícios:

O Fator R, em vigor desde a Lei Complementar nº 155/2016, reduz significativamente a carga de tributos para empresas do Anexo V.

Empresas beneficiadas atuam em segmentos como engenharia, desenvolvimento de software, psicologia, e outras ligadas a trabalhos intelectuais.

Planejamento Tributário com Fator R

Empresários devem analisar se vale a pena utilizar o Fator R, considerando a situação da empresa, regime tributário e faturamento.

O uso do benefício pode resultar em reduções significativas, até R$ 30 mil.

Calculando o Fator R

O valor da folha de pagamento dos últimos 12 meses é dividido pela receita no mesmo período.

Resultado igual ou superior a 28% tributa no Anexo III, dispensando os impostos do Anexo V].

Uso Estratégico do Fator R

Empresários devem avaliar o Fator R desde os estágios iniciais da empresa, sem um período específico para cadastramento.

Planejamento tributário ao abrir o CNPJ é fundamental para evitar custos elevados de folha de pagamento.

Em resumo, a escolha do regime tributário e o entendimento do Fator R exigem análises cuidadosas para otimizar a carga tributária e garantir benefícios fiscais.

Leia mais sobre

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

ARTICULISTAS CONTÁBEIS

VER TODOS

O Portal Contábeis se isenta de quaisquer responsabilidades civis sobre eventuais discussões dos usuários ou visitantes deste site, nos termos da lei no 5.250/67 e artigos 927 e 931 ambos do novo código civil brasileiro.