x

igp-m

IGP-M 2024: projeções confirmam estabilidade no índice, veja impactos nos contratos e aluguéis

IGP-M apresenta recuo na primeira prévia de janeiro de 2024, mas expectativas para o ano permanecem firmes, conforme indicado pelas projeções econômicas.

10/01/2024 12:00:02

  • compartilhe no facebook
  • compartilhe no twitter
  • compartilhe no linkedin
  • compartilhe no whatsapp
IGP-M apresenta recuo na primeira prévia de janeiro de 2024

IGP-M 2024: projeções confirmam estabilidade no índice, veja impactos nos contratos e aluguéis Foto: Pixabay

Na manhã desta terça-feira (9) a Fundação Getulio Vargas (FGV) divulgou que o Índice Geral de Preços - Mercado (IGP-M) registrou uma queda de 0,67% na primeira prévia de janeiro, após uma redução de 0,26% na leitura de dezembro. 

Os detalhes do comportamento dos subíndices também foram revelados, destacando a contração de 1,03% no Índice de Preços ao Produtor Amplo (IPA-M) e o avanço de 0,22% no Índice Nacional de Custo da Construção Civil (INCC-M) em janeiro, em comparação com as quedas de 0,34% e 0,01%, respectivamente, em dezembro.

O que é o IGP-M?

O Índice Geral de Preços - Mercado, conhecido como IGP-M, é calculado mensalmente pelo Instituto Brasileiro de Economia da Fundação Getulio Vargas (FGV IBRE). Este indicador, criado nos anos 1940, visa ser uma medida abrangente do movimento de preços, abrangendo diferentes setores e etapas do processo produtivo.

Calendário de Divulgação 2024:

  • 28 de janeiro
  • 27 de fevereiro
  • 29 de março
  • 29 de abril

Desempenho do IGP-M em 2023:

  • Variação em dezembro de 2023: 0,74%, apresentando aumento em relação a novembro (0,59%).
  • Acumulado de janeiro a dezembro de 2023: Queda de 3,18%.
  • Em dezembro de 2022, o índice registrou alta de 0,45%, acumulando uma elevação de 5,45% nos 12 meses anteriores.

Como o IGP-M é calculado?

O cálculo do IGP-M leva em conta a variação de preços de bens, serviços e matérias-primas nas áreas agrícola, industrial e construção civil. A média ponderada da inflação ao produtor (IPA), consumidor (IPC) e construção civil (INCC) resulta no valor final do IGP-M.

  • IPA (60%): Monitora a variação de preços percebidos por produtores.
  • IPC (30%): Acompanha o comportamento dos preços que impactam diretamente o consumidor final.
  • INCC (10%): Apresenta os custos para a construção civil, considerando a variação de preços de materiais de construção e custo de mão de obra especializada.

Utilização do IGP-M

O IGP-M é amplamente utilizado na fórmula paramétrica de reajuste de tarifas públicas, contratos e prestação de serviços. Além disso, é um referencial importante no setor imobiliário, influenciando o reajuste de contratos de aluguel.

Por seu histórico de divulgação desde a década de 1940, o IGP-M é citado em diversos contratos público-privados e seus componentes, como o IPA, servem como referência para reajustes de preços.

IGP-M e aluguéis

Se o IGP-M apresentar índice negativo isso não será traduzido automaticamente em descontos de aluguéis, por exemplo. Reduções no valor e revisão do índice escolhido, podem ser negociadas livremente como proprietário do imóvel, mas normalmente os contratos possuem cláusulas que prevêem o reajuste apenas quando o índice é positivo, mantendo o valor previamente acordado caso o índice seja negativo. 

Leia mais:

Aluguel fica mais barato com o principal índice para reajuste apresentando variações negativas? Entenda

Leia mais sobre

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

ARTICULISTAS CONTÁBEIS

VER TODOS

O Portal Contábeis se isenta de quaisquer responsabilidades civis sobre eventuais discussões dos usuários ou visitantes deste site, nos termos da lei no 5.250/67 e artigos 927 e 931 ambos do novo código civil brasileiro.