x

Instabilidades

Fenacon envia ofício à PGFN sobre instabilidades para adesão ao Simples Nacional

Entidade solicita que PGFN tome providências urgentes para solucionar lentidão e instabilidades em portais digitais de serviços.

12/01/2024 09:30:01

  • compartilhe no facebook
  • compartilhe no twitter
  • compartilhe no linkedin
  • compartilhe no whatsapp
Regularize: Fenacon se manifesta contra instabilidades

Fenacon envia ofício à PGFN sobre instabilidades para adesão ao Simples Nacional

A Federação Nacional das Empresas de Serviços Contábeis (FENACON) enviou um ofício para a Procuradoria-Geral da Fazenda Nacional (PGFN), nesta quinta-feira (11), alertando sobre a instabilidade e lentidão nos portais digitais de serviços, incluindo o Regularize.

De acordo com o documento, profissionais contábeis que tentam aderir ao regime tributário do Simples Nacional enfrentam dificuldades para concluir o parcelamento e gerar as guias vinculadas ao sistema. 

“Essa problemática impede as Micro e Pequenas Empresas de se qualificarem para o Simples Nacional, acarretando prejuízos significativos em sua situação financeira”, afirma a Federação na nota.

A Fenacon destaca ainda que as empresas interessadas no Simples Nacional precisam regularizar sua situação fiscal até 31 de janeiro de 2024.

A entidade pede que a PGFN tome providências urgentes, visto que é um momento crucial para utilização do sistema.

Portal Regularize

O Regularize é um centro virtual de atendimento para contribuintes que possuem débitos ativos junto à PGFN. 

Entre os principais serviços oferecidos pelo Regularize, são:

  • Consulta de dívidas;
  • Pagamento;
  • Adesão a parcelamento;
  • Desistência de parcelamento;
  • Cobrança administrativa;
  • Consulta de requerimentos.

Leia mais:

Instabilidade impede adesão ao Simples Nacional

Leia mais sobre

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

ARTICULISTAS CONTÁBEIS

VER TODOS

O Portal Contábeis se isenta de quaisquer responsabilidades civis sobre eventuais discussões dos usuários ou visitantes deste site, nos termos da lei no 5.250/67 e artigos 927 e 931 ambos do novo código civil brasileiro.