x

Desoneração

Desoneração da folha gerou mais de 215 mil empregos em 2023

A desoneração da folha reduz a tributação de 17 setores da economia.

19/02/2024 15:30:01

  • compartilhe no facebook
  • compartilhe no twitter
  • compartilhe no linkedin
  • compartilhe no whatsapp
Desoneração gerou 215 mil empregos em 2023

Desoneração da folha gerou mais de 215 mil empregos em 2023

A desoneração da folha da pagamento, que  substitui a contribuição previdenciária patronal, de 20% sobre a folha de salários, por alíquotas de 1% a 4,5% sobre a receita bruta, gerou mais de 215 mil postos de trabalho em 2023.. 

O objetivo da medida é reduzir os encargos trabalhistas dos setores desonerados e estimular a contratação de pessoas.

Os 17 setores alcançados pela prorrogação são: confecção e vestuário, calçados, construção civil, call center, comunicação, empresas de construção e obras de infraestrutura, couro, fabricação de veículos e carroçarias, máquinas e equipamentos, proteína animal, têxtil, tecnologia da informação (TI), tecnologia de comunicação (TIC), projeto de circuitos integrados, transporte metroferroviário de passageiros, transporte rodoviário coletivo e transporte rodoviário de cargas.

Reoneração da folha de pagamento

Apesar da medida apresentar resultados positivos, o ministro da Fazenda, Fernando Haddad anunciou, em 2023, que ela não terá continuidade.

Além disso, determinou um cronograma gradual para a reoneração da folha de pagamento.  

De 2024 a 2027, as empresas teriam que pagar a nova alíquota que aumentaria ano a ano, partindo de 10% a 15% ainda em 2024. Dessa forma, as empresas voltariam a pagar a contribuição patronal de 20% até 2028. 

A medida deve impactar diretamente os setores afetados, aumentando os cursos trabalhistas e até gerando desemprego.

Após contestações do Congresso Nacional, o ministro recuou e disse que pretende chegar a um acordo em relação à medida.

Leia mais sobre

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

ARTICULISTAS CONTÁBEIS

VER TODOS

O Portal Contábeis se isenta de quaisquer responsabilidades civis sobre eventuais discussões dos usuários ou visitantes deste site, nos termos da lei no 5.250/67 e artigos 927 e 931 ambos do novo código civil brasileiro.