x

Dataprev

Regulação da Inteligência Artificial é inevitável, aponta Dataprev

Mau uso pode gerar urgência para a regulação da Inteligência Artificial.

19/02/2024 17:30:01

  • compartilhe no facebook
  • compartilhe no twitter
  • compartilhe no linkedin
  • compartilhe no whatsapp
Dataprev: Inteligência Artificial deve ser regulada

Regulação da Inteligência Artificial é inevitável, aponta Dataprev

O Senado deve votar até abril deste ano a implementação de um marco legal que estabeleça diretrizes para o desenvolvimento e aplicação de sistemas de Inteligência Artificial (IA).

Embora haja diferentes perspectivas sobre a abordagem dessa regulamentação, o debate gira em torno da necessidade de moldar regras em lei para uma ferramenta que, embora de propósito geral, tem implicações cada vez mais significativas em diversos setores.

Para o presidente da Dataprev, empresa que assessora o governo no uso de IA, Rodrigo Assumpção, a implementação de regulamentações é inevitável. Ele destaca que a urgência se dará pelo uso inadequado da tecnologia pelos setores com grau de risco mais elevado.

"É inevitável. Regulamentar com base no medo e na especulação raramente é eficaz. Precisamos vivenciar e acumular experiências para estabelecer regulamentos", destaca Assumpção em entrevista à Convergência Digital.

Ele reconhece que em contextos como o das eleições, a preocupação e a urgência são compreensíveis, visto que os potenciais erros podem ter consequências significativas.

"As suítes de produtividade disponíveis no mercado já incluem IA. Essa IA tem acesso aos dados, documentos e redes das organizações. Sem uma disciplina adequada de classificação e organização dessas informações, não há limites para onde essa IA pode atuar. Portanto, é fundamental investir em governança e qualificação de dados e documentos para utilizar IA de forma eficaz", ressalta Assumpção.

Leia mais sobre

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

ARTICULISTAS CONTÁBEIS

VER TODOS

O Portal Contábeis se isenta de quaisquer responsabilidades civis sobre eventuais discussões dos usuários ou visitantes deste site, nos termos da lei no 5.250/67 e artigos 927 e 931 ambos do novo código civil brasileiro.